Header Ads

Figueirense 96 anos: Uma doença sem cura

12 de junho, dia dos namorados, e sempre fazem aquela pergunta: O que é o amor? Não sabemos, é inexplicável. Mas existem vários tipos de amor: o universal; o platônico; o de amigo; o materno e paterno; o fraterno; o conjugal... Mas tem um tipo de amor que todo torcedor tem. É o amor doentio pelo seu time. Eu tenho esse tipo de amor. Eu sou doente pelo Figueirense Futebol Clube!

Sou feito de preto, branco, e história (Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC)
Dizem que torcedor de "time de menor expressão" – eles que dizem – sofre muito porque conquista pouca coisa e só briga para não cair. E daí? Eu sou feliz sofrendo. Eu sou feliz sofrendo pelo Figueirense. Nunca! Eu disse nunca que alguém vai conseguir tirar o orgulho que eu aprendi a ter de ser torcedor deste clube. E também que se dane a opinião dos outros. Para mim o Figueira é o maior time da estratosfera.

Os torcedores adversários jamais saberão o que é chegar aquele domingo lindo de sol, vestir o manto alvinegro, pegar o ônibus, táxi, carro, carona, qualquer coisa, e ir feliz para o Scarpelli. Porque é lá que teu amor mora e é lá que ele vai te dar várias alegrias. Lá é a tua, é a minha, é a nossa casa!



É só de alegria que vamos viver? Claro que não. Sabemos disso. Mas quem disse que vamos largar o Figueira por isso? O tal do amor doentio não deixa, e nós nem queremos largar esse time. O nosso coração é alvinegro e a nossa alma é guerreira feita de honra e glória.

Eu tinha apenas um ano de idade quando fui pela primeira vez ao Scarpelli com o meu pai. Mesmo não entendendo quase nada do que se passava, tenho certeza de que esse foi o primeiro momento em minha vida que eu senti o que era ser feliz. Hoje, faço todo o esforço do mundo para ir ao Scarpelli, da mesma maneira que eu e meu pai fazíamos. Só que agora sozinho, levo em meu corpo essa camisa que tenho tanto orgulho em vestir, e lá do céu, o cara que me ensinou a amar esse time, vai me protegendo e me guiando com um sorriso no rosto por eu ter escolhido o lado alvinegro da força.

Parabéns, Figueirense Futebol Clube! Obrigado por existir. A gente briga, mas se ama muito.

Patrick Silva | @figueiradepre

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.