Header Ads

Sofrimento sem fim

É, não tá fácil a vida do torcedor do Náutico, se os torcedores de outros times pensam que sabem o que é sofrer, mande eles conversarem com torcedores do Náutico. E são coisas do futebol, o timbu brigou pelo acesso em 2015, 2016 e acabou a série B em 5º colocado nos dois anos, e em 2017, e com ele um time que não consegue brigar nem para sair da lanterna, um time sem perspectiva.

Voltou ao campo pela 17ª rodada da série B no dia (29\07) e era um jogo tratado como crucial pela torcida alvirrubra, era ganhar ou ganhar para continuar sonhando com um milagre. Não rolou, o Náutico perdeu outra vez e segue sem ganhar como mandante, que sempre foi uma das forças do clube, ganhar em casa. O aproveitamento no campeonato é de 15,7% e olha vai ter que suar muito para não fazer a pior campanha de toda a história da série B.

 Curiosamente o jogo estava marcado para iniciar as 19h, a bola rolou as 18:58 e o Diego 
Giaretta marcou o gol as 18:59, é a segunda vez que isso acontece, aconteceu também no jogo contra o Goiás, CBF, coloque os jogos para começar no horário previsto.

Volante Amaral saindo da sua posição e indo atrás do jogador com a bola
Náutico no 4-2-3-1 de sempre, marcando de uma forma confusa que em horas parece uma marcação zonal e numa outra hora com encaixes e algumas perseguições pelo campo com os volantes. Um time com pouca pressão na bola, vai marcar a saída de bola e o time não se agrupa, já o Criciuma no 4-1-4-1, explorando os lados, principalmente na direita com o bom Caio Rangel. 

O Criciuma começou em cima, com boa movimentação de seus jogadores e com 2 min no rebote do escanteio a bola desviou no Diego Giarretta e entrou no fundo do gol, falha de Ávila, o lateral esquerdo ficou desatento no lance, a defesa saiu toda e ele deu condições ao Giaretta. Time já pressionado por ser lanterna e tomar gol no começo, mudou completamente o jogo, o animo dos atletas.

Aos 8 minutos boa cabeçada de Gilmar em jogada criada por Erick, que jogou bem, jogou solto, flutuando entre as linhas, saindo da ponta para o meio e fugindo dos laterais, ele participou mais do jogo. Porém não se pode jogar sozinho... O time tem uma mania de jogar a bola na aréa com Amaral em qualquer lateral, que o jogador ainda conseguiu errar e cedeu uma reversão, essa bola podia ser melhor trabalhada com aproximações.

 Com a entrada de Jobson no meio campo, ganha mais em passe e infiltração do que com Darlan que é mais marcador, mas participou muito pouco do jogo. O Náutico chegou com mais perigo no primeiro tempo quando Erick veio por dentro e com sua verticalidade deu bom passe para Léo que chutou forte e o goleiro Luis pegou. Foi o que teve no primeiro tempo, os catarinenses aguardaram mais depois do gol e quase fizeram o 2º com Caio Rangel aos 41, mas Tiago Cardoso pegou. E ao timba faltava ofensividade, e ela veio...

No segundo tempo o único hexa pernambucano veio com mudança, Bruno Mota entrou no lugar de Jobson, e junto com Bruno o time ficou ofensivo, só com Amaral de volante, Bruno Mota é lento e não consegue recompor. O ritmo foi outro, voltou com intensidade, indo para cima e aos 6 minutos do segundo tempo em cruzamento de Diego Miranda, a bola vem para a joia e Erick de bicicleta, apronta uma das suas, o improviso que falta aos outros jogadores, o motivo que faz ele ser diferente e não um jogador comum. Foi o 8º gol dele em 35 jogos na temporada, e foi um alivio porque não marcava desde 10 de abril.

Só que com o time ofensivo isso quer dizer que vai ter espaços lá atrás, e já dizia o antigo ditado ´´alegria de pobre dura pouco´´ o lateral Léo cabeceia mal, afastou mal um levantamento da área e tinha milhares de outras coisas para fazer, ele entregou de graça para o Criciúma que chegou ao gol da vitoria numa tabela entre Jocinei e Silvinho, a torcida não o perdoou. Ainda perdeu um gol cara a cara em cruzamento de Erick e foi substituído.

E o Náutico segue seu caminho rumo a série C, no domingo de noite o treinador Beto Campos foi demitido e o clube está em busca de um novo técnico. Abaixo vai alguns números que ajudam a entender:

8 jogos que o ataque não fez nem um gol, só marcou mais de um gol 2 vezes(contra Inter e Goiás)17 rodadas no z4 onde 12 dessas rodadas foram na lanterna, mais de 50 jogadores utilizados no ano, 4 técnicos em 6 meses, e agora indo ao 5º treinador

38 jogos no ano

9 vitórias

11 empates

18 derrotas

45 gols marcados

46 gols sofridos

3 eliminações

Lanterna da série B

Perdendo todos os jogos em casa na série B

Com Beto Campos

1 vitória

3 empates

5 derrotas

Aproveitamento de 15%


 Por: Victor Tadeu


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.