Header Ads

Até o fim

Até o fim. Este foi o comportamento da torcida alvinegra na partida deste sábado (26), contra o Guarani. Nem mesmo o gol de empate marcado pelo adversário calou a torcida que empurrou o Figueira ao caminho da vitória.

Uma vitória para marcar o renascimento (Foto: Fernando Remor/Mafalda Press)
O clima tornou-se espetacular desde o momento antes da partida. Uma recepção calorosa, que partiu de iniciativa de um torcedor, tomou as ruas no entorno do Orlando Scarpelli. No momento da chegada do ônibus que trazia a delegação alvinegra, os torcedores começaram a fazer o seu papel, e ali foi o primeiro passo para a vitória.

Recepção foi um dos passos que levou o Figueirense à vitória (Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC)
Dentro do estádio, nas arquibancadas, os 7.891 torcedores fizeram uma festa incrível, que há muito tempo não era visto. No campo, viu-se um Figueirense aguerrido, pegando firme, sem desistir, e acreditando até quando não podia mais.

Apesar da festa, do bom clima, o sentimento de nervosismo não saía dos rostos dos torcedores. Pois um resultado negativo neste jogo, seria uma hecatombe. Porém, aos 33 minutos da primeira etapa, Henan tratou de tirar momentaneamente esse sentimento ruim de nervosismo e medo dos corações alvinegros. Após um escanteio, o rebote sobrou para Dudu, que de primeira, bateu em direção ao gol. O excelente camisa 9, Henan, dominou com o pé direito, e de canhota, pôs a bola no fundo das redes do goleiro Vagner.

No gol, a torcida enlouqueceu. Aquela sensação de vida tomou o Scarpelli inteiro. Era o momento da torcida. O sorriso no rosto de cada um valia o ingresso.

Henan após mais um gol seu vestindo a camisa alvinegra (Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC)
Mas como nada é fácil, na segunda etapa a apreensão estava de volta. O Guarani veio tentar algo de novo, mesmo sem muita pontaria. Até que aos 23 minutos, chegou ao empate com Bruno Mendes. Um silêncio 'ensurdecedor' poderia tomar conta das arquibancadas, mas não foi o que vimos. O torcedor estava realmente disposto a jogar junto até a última gota de suor, até o último pingo de esperança. No mesmo momento do gol adversário, a torcida seguiu cantando, incentivando. Coisa linda de se ver.

E não demorou muito para esse incentivo tornar-se resultado. Cinco minutos após o empate, o estreante Xuxa levantou bola na área, e Marquinhos, de cabeça, desviou para o gol. A partir daí, viu-se que essa era a noite do Figueirense. Que nem um aborto da natureza iria nos tirar essa vitória.

Capitão Marquinhos voltou a ser decisivo (Foto: Luiz Henrique/Figueirense FC)
Apesar da quase certeza de que a vitória seria alvinegra, os rostos apreensivos voltaram a aparecer na arquibancada a cada chegada perigosa do Guarani. Mas nesta noite, os deuses do futebol estavam do lado alvinegro e a vitória na primeira das 17 finais que o Figueirense tem pela frente, foi assegurada.

Nessa partida, foi mais uma prova de que torcida ganha jogo. Os jogadores jogaram pelos torcedores, deram a vida por cada torcedor lá presente que se entregou de corpo, alma e voz ao que é o seu maior amor.

Torcida jogou junto durante os 90 minutos, e assim terá de ser até o fim do campeonato (Foto: Kadu Reis/CBN Diário)
Mesmo não tendo sido alcançado o desafio do CEO Alex Bourgeois, que queria no mínimo 10 mil torcedores no Scarpelli, o que se deve fazer é seguir com o ingresso a preço que atraia os torcedores. Mantém a promoção até o fim. Scarpelli cheio até o fim. Torcida empurrando até o fim. Figueira até o fim! Juntos sairemos dessa. Só juntos!

Patrick Silva | @figueiradepre

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.