Header Ads

Efeito Rueda

"Ain, treinador gringo precisa de tempo pra se adaptar". Era o que as más línguas diziam, aliás, qualquer rubro-negro lúcido ficaria com um pé atrás por causa das circunstâncias e pelos exemplos nos últimos anos. O novo técnico chegou numa fogueira, e das grandes, mas não sentiu a pressão e vem fazendo bonito com o time. O Flamengo é outro desde a primeira partida de Reinaldo Rueda no comando e nesse final de semana deu mais um passo na evolução.

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

O novo Flamengo de Rueda é muito mais paciente, ofensivo, atingiu marca expressiva e se aproxima de fazer história na década. O treinador apostou numa formação nova e colheu frutos: abriu 2 a 0 no primeiro tempo contra o Atlético-PR e chegou à marca de 101 gols em 2017. O recorde foi em 2014, com 108 tentos durante o ano, e nesse ano o Mais Querido tem tudo para superar essa marca.

Nosso time está invicto com Rueda e a defesa ainda não foi vazada: no brasileiro foram duas vitórias por 2 a 0 sem sustos e pela Copa do Brasil um empate e uma vitória em cima do rival Botafogo. Ah, mas você pode falar: "Só foram quatro jogos até agora, não dá pra falar de resultados concretos." Talvez sim, talvez não. O Flamengo já apresenta uma solidez defensiva razoável - não levou gol nesses quatro jogos - e está cada vez mais equilibrado, se defendendo bem e não abrindo mão de atacar e propor o jogo

Além disso, com a sacada de Márcio Araújo dos 11 titulares, o time ganhou qualidade no passe e na saída de bola com Cuéllar, tornando o time mais vertical e agudo. Com certeza é muito perceptível que Reinaldo Rueda preza pela qualidade dos jogadores, isso é muito positivo e a tendência é que o Flamengo evolua muito ainda.

Contra o Atlético-PR o time foi muito bem, seguro, num jogo que foi até tranquilo e sem muitos sustos. Porém, não se tratava de qualquer time. O adversário vinha de quatro vitórias e um empate nos últimos cinco jogos, sendo duas goleadas aplicadas no Avaí e no Sport e empate com o Grêmio na rodada anterior. Muito se especulou sobre um time misto mas o que vimos era o time que jogou a última partida da semifinal da Copa do Brasil, com exceções de Diego Alves e Rhodolfo, já que Réver está machucado. Ficou bem claro que o técnico colombiano quer dar conjunto aos jogadores. O placar poderia ser mais elástico se não fosse as boas defesas do goleiro Weverton, principalmente no segundo tempo.

Flamengo está se desenhando como time maduro, mais equilibrado, é nitidamente uma equipe em evolução. O trabalho continua. Rueda foi um divisor de águas na mentalidade do time rubro-negro. O próximo embate do Mais Querido é contra o Paraná nas quartas de finais pela Primeira Liga - sim ela existe ainda - e se nós estamos nela, temos que ganhar.


Vamos Flamengo!

por Matheus Morais
Twitter: @danosmorais_

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.