Header Ads

O fim da linha

Zé Ricardo deixou o Flamengo num buraco. Nunca defendemos a demissão dele abertamente aqui mas desde o jogo de ontem não dava mais. E caiu. Tá mais do que claro que o Rubro Negro tem um dos melhores elencos do Brasil mas com esse técnico não ia arranjar mais nada. A única explicação, depois dele tentar diversas formações táticas diferentes, é que ele não sabe treinar um time de futebol. Não é possível. O time não tem uma proposta de jogo, um padrão tático. Não dava mais, temos o time mais previsível do planeta. Porém, o Flamengo não pensava em demitir Zé Ricardo antes da semifinal da Copa do Brasil contra o Botafogo. Defendido pelo presidente com unhas e dentes, o cartola Rubro-Negro teve que ceder a pressão e assinou as contas do Zé. Mas acredito que todos têm uma parcela de culpa.

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Primeiramente, se a diretoria confiou no Zé é porque essa é a jogada administrativa deles. Numa era que tanto se critica a não valorização do trabalho do treinador, num futebol que anseia por resultados imediatistas e numa cultura que se contrata e manda embora como se trocasse de roupa, o exemplo de Zé Ricardo e Flamengo estava se tornando um ponto fora da curva. O treinador Rubro-Negro esteve no clube por mais de um ano, com 62% de aproveitamento, que vendo superficialmente parece muito bom, mas quando precisou ser decisivo, o time não foi bem. Perigoso demais, entretanto o que precisamos entender é que as coisas estão seguindo pra essa lógica: o clube planeja a temporada e se não der certo tem que ter pressão também em quem administra.

O clube investiu, fez contratações inimagináveis pra realidade do futebol brasileiro pagando quantias a vista. Quando o time joga sem vontade a culpa é do treinador? Quem tem raça nesse time? Se as vitorias não vêm a culpa é de quem entra em campo também. Peças chaves do time, como Diego, estão numa fase ruim e a zaga é inconstante. A derrota para o Vitória (risos) foi a gota d'água. Perdeu em casa, dentro da Ilha para um adversário que luta contra o descenso. Não dava pra aceitar se quer um empate nesse jogo. Como diz o ditado, era VENCER ou VENCER. E não venceu, ou melhor, perdeu e feio.

Agora resta saber quem comandará o Flamengo daqui pra frente. De certo que Jayme de Almeida apagará o incêndio interno e comandará o time na beira do gramado contra o Palestino pela Copa Sulamericana, depois de uma larga vantagem na primeira mão do confronto. Além disso, não existe outra possibilidade de resultado que não seja a vitória. O time chileno é horroroso. A ideia é que o interino siga a tendência do antigo treinador e use jogadores que não estão sendo aproveitados. O Flamengo é maior que tudo isso. Jogadores, treinadores e dirigentes passam. O clube fica. Independente de tudo, muito obrigado, Zé. Boa sorte na caminhada pois você é um técnico promissor.


Vamos Flamengo!

por Matheus Morais

Siga no Twitter: @danosmorais_

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.