Header Ads

Pós-jogo – Real Sociedad 3×0 Villarreal: Quando a realidade é melhor que o sonho

Eramos fregueses do Villarreal. Nossa casa era o seu salão de festa.
Quatorze jogos no Anoeta desde 1998. Duas vitórias nossas, cinco empates e sete revezes.
A pedra no sapato que somos pro Barcelona em nossos domínios vira simplesmente utopia quando esse time vestido de amarelo pisa nosso gramado.
Vindo de derrota no último confronto, esse seria o jogo 500 do divino Xabi Prieto. O nosso maestro eterno seria aplaudido no minuto 10 e desfilaria classe em campo contra um convidado dos mais ingratos, que sempre estragaram nossa festa caseira.
Esse homem merecia um jogo à altura de sua grandeza! (Foto: EFE/Javier Etxezarreta)

Seria um sonho se os vencêssemos, déssemos alegria ao nosso capitão, mantivéssemos os 100% de aproveitamento, quebrássemos um tabu incômodo contra essa equipe inglória e ainda por cima repousássemos entre os melhores até a volta da data FIFA, dia 10 de setembro. Seria lindo, lindo…
E foi melhor!
Quando a homenagem aconteceu estávamos melhores em campo, rodando a bola e conseguindo incomodar as duas linhas de marcação adversária. Xabi Prieto como que revivendo sua juventude de ponta direita abria justamente por ali e oferecia o setor central ao garoto Oyarzabal, além de atrair marcação e permitir os avanços de Odriozola por ali, tanto pra cruzamentos quanto pra abrir também um lado esquerdo que se demonstrou frágil pela parte do Villarreal. Jaume Costa e Ruben Semedo estavam cada vez mais desconfortáveis com a inferioridade numérica por ali.
Enquanto isso Zurutuza, inteligente, recuava pra formar o doble-pivot com Illarramendi e armava de trás. isso nos garantiu a vitória tática contra um agora abatido Villarreal, mas a vitória que vale é a do placar, nem que ela venha de bola parada, certo? E foi assim que o placar abriu. Cruzamento de escanteio e após resvalada de Odriozola no primeiro pau, William José, na segunda tentativa, venceu Andrés Fernández e nos colocou na frente.
willian josé gol
ALÔ, SEU ADENOR!!! (Foto: EFE/Javier Etxezarreta)
Era apenas isso que se queria, bastava isso, mas o time sentiu que podia superar seu próprio sonho. Os amarillos estavam muito abalados e entregues taticamente. No entanto mais uma vez foi preciso um escanteio, conquistado após avanço pela direita e chute frustado de Xabi Prieto. Dessa vez, após cobrança e disputa na área, nosso mestre estava bem colocado pra vingar o gol perdido e coroar de vez sua partida 500 de txuri-urdin.
Ainda deu tempo de fechar o primeiro tempo punindo uma desatenta zaga adversária com Juanmi encobrindo Andrés, que desafortunadamente se lesionou tentando alcançar a bola e saiu no intervalo com o placar em três gols pra nós. Em seu lugar entrou Mariano Barbosa.
Foi um primeiro tempo mágico, que nossos atletas traduziram em uma realidade bem além do que poderíamos imaginar. Nós simplesmente destruímos aqueles rapazes de amarelo!
Parece que voltamos desencantados, como que satisfeitos com uma recompensa maior que a esperada. Era o bicho papão Villarreal que estava se escondendo de medo de nós e demonstrando apatia num fácil 3 a 0. E nos acalmamos. Rodamos e rodamos a bola. Fizemos o tempo rodar a nosso favor e contra nossos antigos algozes.
Deu tempo ainda de ver a volta de Imanol Agirretxe a uma partida oficial, compartilhando holofotes com nosso infalível camisa 10. Pareceu mesmo um testimonial de luxo pra Xabi Prieto, e o momento perfeito pro Imanol voltar a dar as caras. Infelizmente faltou um golzinho do 9, mas parecia até injusto pedir isso depois de tanta recompensa junta.
Foi melhor do que jamais sonhei, com o bônus de ainda estarmos em primeiro provisoriamente e, com certeza, seguirmos embalados e felizes pra essa parada FIFA.
Se a primeira impressão é a mais importante, amigo, estou em lua de mel com esse time!
FICHA TÉCNICA:
Real Sociedad: (4-3-3) Rulli; Odriozola, Aritz, Raúl Navas (Agirretxe, min.82) e Kevin; Illarra, Zurutuza e Xabi Prieto (cap); Oyarzabal, Juanmi (Vela, min.66) e Willian José (Canales, min.74). Téc: Eusebio Sacristán.
Villarreal CF: (4-4-2) Andrés; (Barbosa, min.46), Álvaro, Semedo, N´Diaye e Jaume Costa (cap); Trigueros (Sansone, min.80), Rodrigo, Castillejo e Fornals; Bakambu e Bacca (Unal, min.70). Téc: Fran Escribá.
Goles: 1-0: Willian José, min.25. Xabi Prieto, min.34. 3-0: Juanmi, min.45.
Árbitro: Estrada Fernández. Amarelo para Aritz, Willian José para a Real Sociedad e Jaume Costa e Trigueros para o Villarreal.
Público: 19.931 espectadores.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.