Header Ads

A Lazio somos nós: Leonardo Carvalho



Na coluna “A Lazio somos nós” de hoje vou bater um papo com um jovem de 23 anos, buona gente, que curte Black Sabbath, coleciona quadrinhos Marvel Max, é carioca da cidade maravilhosa e apaixonado pela Società Sportiva Lazio desde garoto: Leonardo Carvalho.

Foto: Arquivo pessoal


Conheci o Leonardo pelos grupos do Facebook, e o rapaz sempre se mostrou um torcedor assíduo e amante da nostra Lazio. Ele vai dividir conosco, através de um papo bem bacana suas expectativas para essa temporada, como se tornou laziali e sua emoção ao ver nossa squadra em momentos marcantes. Confira:

Lian: Fale um pouco de você, quem é o Leonardo?
Leonardo: Faço Letras na Universidade do Estado do Rio de Janeiro; apaixonado por arte, pelas mais diversas, da literatura à música; poeta nas horas vagas (escrevo prosa também), trabalho como professor e corretor de redações para concurso. Sou crítico de cinema pelo Cineplot, apaixonado pela Lazio, meu único time, meu primeiro amor.
 

Lian: Há quanto tempo é torcedor da Lazio? Como surgiu a paixão pelo time?
Leonardo: Não consigo cravar a data exata de quando comecei a torcer para a Lazio, mas meu amor é de muitos anos. Nasci em 1994, acredito que por volta de 2003/2004, ainda criança, comecei a sentir uma simpatia pelo time, época em que o campeonato italiano era muito competitivo e era bem televisionado. Em um primeiro momento, meu gosto pela squadra biancoceleste surgiu pela beleza do escudo e pelas cores do uniforme; depois em um segundo momento, pela história do clube e pelos jogadores.

Lian: O time hoje ocupa a quarta posição no Campeonato Italiano após 11 rodadas e é lider na chave de grupos da UEFA Europa League. Está empolgado com o desempenho? Acredita que essa Lazio pode chegar aonde ao final da temporada?
Leonardo: Sim, estou empolgado com a atual fase, sendo que ainda temos Felipe Anderson e Wallace para voltar. O Calcio, hoje, está mais concorrido, portanto, mais difícil. Mesmo assim, acredito em uma boa colocação na liga, entre os quatro primeiros, acredito no título da Coppa Italia e, dependendo da quantidade de jogos, uma boa chegada na UEL.  

"Carioca da gema", Leonardo exibe com orgulho suas duas paixões: A maglia della Lazio e as belas paisagens do RJ


Lian: Você torce para mais algum time no Brasil ou mesmo no exterior? Como as pessoas reagem quando você fala que torce para a Prima Squadra della Capitale?
Leonardo: Não, torço apenas para a Lazio, só a Lazio, mais nada além dela. Gosto de outros clubes, obviamente, inclusive no Brasil e na Itália, mas amor de torcedor só para a Prima Squadra della Capitale. Quando perguntam para qual time eu torço e digo Lazio, muitas das reações são bizarras. "Sim, mas qual no Brasil?"; "Lazio? Que isso? É de onde?"; "Não, é impossível torcer para um time estrangeiro"; "Por qual motivo você não escolheu o Barcelona?" Tem que ter paciência.

Lian: Qual são os seus maiores ídolos laziali?
Leonardo: Signori, Piola, Chinaglia, Verón, são muitos os ídolos, aqueles intocáveis. Hoje, no time atual, Radu é uma grande referência para mim, um cara dedicado, demonstra amor e respeito pela camisa que joga. Ainda assim, tenho admirado, e muito, Immobile, Sergej, Bastos, Lucas Leiva e outros.

Lian: Você estudou Letras com ênfase em Italiano, certo? Já foi para a Italia? Se não, pretende ir algum dia?
Leonardo: Sim, quis o curso de Letras pela razão ser apaixonado por literatura, mas como a língua estrangeira era algo opcional, escolhi o italiano por causa da Lazio. Nunca fui à Itália, mas pretendo, sobretudo para ir ao Olímpico.

Lian: Você tem uma tattoo da SSL não é? Quando surgiu a ideia de fazê-la e porque escolheu o desenho que tatuou?
Leonardo: Tem dois anos e pouco que fiz essa tatuagem. Tive a ideia de fazer desde que fiz dezoito anos, mas concretizei o desenho na altura do coração (não poderia ser diferente) após o jogo contra o Napoli no San Paolo, tinha vinte e um anos na época, em que quase tomamos a virada e perdemos a vaga na UEFA Champions League. Na ilustração, queria uma águia feroz, forte, como a Lazio, e o tatuador teve a ideia de acrescentar a faixa para fazer referência ao clube.


L'aquila è Lazio: Leonardo fez até tattoo pra demonstrar seu amor pela SSL

Lian: Teve alguma vitória marcante que te emocionou demais, ou mesmo você vivenciou algum momento especial onde houve alguma correlação com a Lazio? Conta pra gente
Leonardo: Pergunta difícil, são muitos os jogos marcantes, mas o derby contra a roma na final da Coppa Italia de 2013 talvez tenha sido o mais memorável: primeiro por se tratar de jogar, em uma final, contra o maior rival; segundo por ter sido um jogo tenso, um jogo difícil; terceiro por poder jogar na cara dos giallorossi, até hoje, que somos os únicos vencedores em uma final entre as duas equipes.

Lian: A SSL não é um time com visibilidade midiática positiva. Entretanto, há tifosi espalhados por todos os cantos do Brasil e do mundo fora da Italia. O que acha disso?
Leonardo: Eu acho que até hoje existem muitos admiradores da Lazio por causa daquele time inesquecível de 1999/2000, além, é claro, de ser um time que encanta por toda a sua história. Eu amo a Lazio, o clube, não um grupo específico de torcedores. A mídia é quase sempre um problema, por generalizar, atrelar o time aos atos preconceituosos. Não é por aí, a Lazio é muito maior do que isso, é gigante, por isso tem tantos torcedores.


Grande Leonardo. É isso aí! O amor dos brasileiros pela SS Lazio é enorme. Abraçamos a Prima Squadra della Capitale e a tornamos parte de nossa vida. Daje!

LA LAZIO SIAMO NOI

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.