Header Ads

Dominante Juventus para em Handanovic

No dia de ontem, 09, ocorreu o jogo entre Juventus e Internazionale, partida válida pela 16ª rodada da Série A 2017/2018, no Allianz Stadium.  A disputa trazia vários elementos interessantes: marcava da volta do clássico decidindo a parte de cima da tabela (pois nos últimos anos o time de Milão não tinha força suficiente para tal), a disputa entre os artilheiros argentinos Higuain e Icardi e o embate entre os estrategistas Allegri e Spalletti.

O clássico é tão importante que é conhecido como Derby d’Italia, pois marca um jogo entre a maior vencedora do futebol italiano, a Juventus e um dos times que vira e mexe desafia a hegemonia bianconera. Os dois times são de regiões diferentes, a Juventus é do Piemonte e a Inter da Lombardia (ambas ao norte da Itália), possuem torcida em todo o país e por anos marcou também uma rivalidade entre famílias italianas poderosas os Agnelli, que possuem o controle da Juventus e os Moratti, que possuíam o controle da Inter até venderem parte de suas ações.

Ao todo (contando com o empate no jogo de ontem) foram disputados 231 Derby d’Italia, com 103 vitórias bianconere, 71 vitórias da Inter e 56 empates. Amplo domínio da Juventus sobre a rival.

Conforme falei em meu último texto, a Juventus teria uma forte sequencia determinante para o restante da temporada. As vitórias contra Napoli (Série A) e Olympiacos-GRE (UCL) foram importantes e demonstraram, mais uma vez, que a Juventus de Allegri cresce em momentos decisivos.

Para a partida de ontem, Allegri entrou com Szczesny, De Sciglio, Benatia, Chiellini, Asamoah; Pjanic, Khedira, Matuidi; Cuadrado, Mandzukic e Higuain. Tanto os jogadores, quanto a postura em campo mostrou que a Juventus atuou em algo que lembra mais um 4-3-3, sem as estrelas do time Gigi Buffon (recuperando-se de contusão) e Paulo Dybala.

A Juventus dominou toda a partida, o goleiro Samir Handanovic foi o responsável por diversas intervenções fundamentais para que o time da casa não abrisse o placar. Até o zagueiro Skriniar tirou uma bola em cima da linha na primeira etapa.

Mandzukic também não teve muita sorte no dia de ontem, além de parar no goleiro esloveno, o crota ainda acertou uma cabeçada no travessão e perdeu duas oportunidades claras de gol.

Muitos criticaram Allegri por deixar Dybala no banco. Da mesma forma que falei em meu último texto, Allegri roda muito o elenco e, somando a isto, Dybala não vive seu melhor momento na equipe. Não critico Allegri por esta postura, o entendo. Também acredito que é necessário jogar com um meio campo com três jogadores, ponto para Max.
Benatia, em afirmação, fez mais uma ótima partida no clássico. Foto: Juventus.com
Entretanto, minha crítica fica por conta de três fatores: não colocar Douglas Costa no lugar de Mandzukic no início do segundo tempo, não ter colocado Dybala no início do segundo tempo (o argentino entrou apenas aos 75 minutos de jogo) e ter tirado Pjanic aos 85 minutos de jogo.

O brasileiro tem evoluído muito nas últimas partidas e penso que poderíamos ter criado um volume maior de oportunidades caso estivesse em campo, dividindo tal função com Cuadrado. Apesar de Dybala não viver bom momento, o argentino é peça fundamental e precisaria ter tido mais tempo em campo ontem, dada a importância da partida. Por fim, Pjanic é o melhor jogador de linha da Juventus da temporada. Um verdadeiro maestro em campo, sempre atuando bem. Tirá-lo do jogo significa abrir mão da sua bola parada, dos seus passes e dos seus chutes de fora da área.

Allegri também precisa ser elogiado. O papel do técnico é fazer com que seu time crie chances de gol e evitar, ao máximo possível, que o adversário tenha chaces de vazar a defesa. Max montou um time que dominou os 90 minutos do jogo e não tem culpa se seus jogadores não conseguiram concluir de forma certeira. Szczesny não sujou o uniforme e sequer chegou a ter nota em uma avaliação de um jornal, dada a inatividade do polonês no dia de ontem.

Outros méritos do técnico estão em Benatia e Asamoah. O marroquino com sequencia de jogo e sem lesões vem de ótimas atuações e o lateral esquerdo vem entrando e dando conta do recado. Claro que Alex Sandro é dono da posição, mas como o brasileiro não vem de boa temporada e ainda discute renovação (arrastada) de contrato é importante ter um reserva sempre pronto.

Inegável que o empate foi melhor para a Inter, que foi dominada no jogo inteiro e viu sua diferença para a Juventus permanecer em 2 pontos. Para a Juventus, fica o sabor amargo de não ter vencido uma partida em que dominou o adversário, mas fica o bom momento da equipe para a sequencia da temporada.

Na próxima segunda-feira, 11, haverá o sorteio das oitavas-de-final da UCL. A Juventus está no pote dos segundos colocados e pode pegar: Liverpool, United, City, Tottenham, PSG e Besiktas.

Fino alla fine, FORZA JUVENTUS!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.