Header Ads

Tirando o pé em jogo contra a arbitragem

O terceiro jogo do Galo na temporada (segundo pelo Campeonato Alagoano) serviu mais uma vez como teste para os jogadores e treinadores. Mazola mudou novamente a equipe, escalando apenas alguns jogadores do time titular que enfrentou o CEO no último domingo. A partida desta noite foi realizada no Estádio Gerson Amaral contra o time da casa, o Coruripe.

Análise da partida

Ao ver a escalação inicial do CRB para a partida, é de se entender que a única mudança em relação ao jogo contra o CEO tenha sido apenas na escalação. A defesa foi toda alterada, o meio-campo teve alterações mínimas, e o ataque mudou também.

O objetivo do Galo na partida era só manter a bola longe do seu gol enquanto tentava abrir o placar e ampliar para não ter sustos durante a partida.

Reprodução: TV Gazeta
Serginho era o homem de maior mobilidade no meio-campo, hora aparecendo como suporte para a saída de bola pelo meio, hora como "ponte" nas investidas pelas laterais. E foram nestas investidas pelas laterais que Serginho começou a jogada do gol do Galo. O camisa de nº 8 recebeu a bola pela direita, e fez o cruzamento. A defesa afastou, e Leílson, que estava atento ao lance, aproveitou a queda da bola para fazer o gol em um chute forte aos 22' da primeira etapa.

Foto: Douglas Araújo
A partir deste gol, o Galo já cedia mais campo ao Coruripe, se preocupando em apenas defender e explorar os espaços do adversário. O Hulk chegava ao gol, mas para em João Carlos. O goleiro do Regatas fazia outra partida de forma imponente, sendo soberano no gol.

A defesa já mostrava algumas falhas, não sendo precisa em alguns momentos e deixando brechas que eram pouco aproveitadas pela equipe do litoral sul. Claudinei ajudou na marcação e conseguiu impedir grandes investidas do adversário. Serginho também ajudou na marcação, mas não foi tão presente em roubadas de bola, já que só fechava os espaços mais perigosos em poderia acontecer o passe do adversário.

Na segunda etapa, o CRB já tinha outra postura. A bola parada forte e qualificada de Ayrton levou perigo várias vezes ao gol adversário, seja nas cobranças de falta ou nos escanteios fechados e perigosos do lateral.

E em uma cobrança de falta em frente a área, Ayrton encheu o pé, a bola pegou uma curva e enganou o goleiro que deu o rebote, e para seu azar, Marcão estava atento e ampliou o placar finalizando para o gol aos 19' da segunda etapa.

Leílson teve um papel diferente de sua função. Mesmo escalado como meia-armador, não conseguiu desempenhar a função de modo satisfatório. Muitas vezes deixou a desejar em um passe mais perigoso, uma visão de jogo diferenciada, ou até mesmo um tempo de bola que facilitasse seu jogo. E assim teve mais destaque por sua disposição em roubar a bola e ajudar na marcação do que atacando.

   (Crédito: Douglas Araújo / Ascom CRB)
Foto: Douglas Araújo
Mudanças foram feitas, as entradas de Ruan e Rafael Bastos não trouxeram maior volume de jogo para o CRB. Já Manoel, entrou e conseguiu levar perigo. Fez boas infiltrações pela esquerda, tentou o cruzamento para Marcão, mas não aconteceu nada.

Nessa altura, o Coruripe tentava chegar ao gol para diminuir o placar e buscar o empate. Não se importava em abrir espaços na defesa, e quando não conseguia o gol, a bola sobrava para contra-ataque alvirrubro que não tinha eficiência com Marcão.

A defesa do Galo continuava a abrir espaços, e aos 30' o Coruripe conseguiu diminuir o placar com Mateus. O jogador apareceu sozinho por trás da defesa e conseguiu finalizar, o goleiro ainda quase evitou o gol, mas a bola beijou o barbante. Coruripe 1x2 CRB.

Arbitragem contra o CRB

- A arbitragem prejudicou muito a equipe. Cartões bobos por pura "sacanagem" do árbitro, escanteios que eram invertidos, faltas que eram invertidas, além de um gol mal anulado que seria o primeiro do CRB na partida. Willians recebeu em boa condição, cruzou para Marcão sozinho marcar, mas o auxiliar assinalou impedimento. O árbitro que é torcedor declarado do rival do Galo prejudicou bastante a equipe.

Pontos positivos

- Alguns jogadores já mostram qualidade individual que poderá ser melhorada após o entrosamento se consolidar.

- Ayrton mostra eficiência na bola parada e no passe, o que pode possibilitar um jogo rápido com um passe preciso que deixe os pontas em condições de gol ou de dar a assistência ao atacante.

- João Carlos conseguiu mostrar mais uma vez o quanto é seguro. Impediu no fim da primeira etapa o gol de empate do Coruripe em uma sequência de duas boas defesas.

- Claudinei fez mais uma boa partida, sendo essa sua terceira pelo Galo. Sempre bem posicionado, evitando o prosseguimento de jogadas fechando espaço ou até mesmo optando pelo desarme.

- Serginho não teve um jogo tão favorável para mostrar seu futebol. Mas conseguiu preencher espaços. Mostrou ser um jogador que busca o jogo para frente, evitou dar passes laterais ou voltar o jogo para a defesa.

- Manoel chegou criticado após sua passagem pelo Náutico. Mas aos poucos consegue evoluir. Na primeira partida mostrou eficiência na defesa com belos desarmes e boa marcação. Hoje já mostrou boa chegada ao ataque buscando não o cruzamento pelo alto, mas sim passes por baixo, que dificulta muito para o zagueiro que não tem tanta velocidade.

Pontos negativos

- Mesmo sendo um jogo com boas chances criadas no ataque, e a defesa sendo muito exigida, essa partida em "nível de treino" para os jogadores já mostrou algumas falhas.

- A defesa, com os zagueiros que foram titulares hoje, não tiveram tanta eficiência como se esperava. Muitas vezes Claudinei teve que fazer o papel de zagueiro e evitar o prosseguimento da jogada na última linha do campo. Nas bolas alçadas na área, os zagueiros parecem não conseguir se decidir, a falta do entrosamento evita uma melhor comunicação, mas estes problemas são básicos. Em lances perigosos, a falta de posicionamento e do desarme preciso fez com que o Coruripe tivesse oportunidades em que o gol parecia óbvio, mas João Carlos conseguia evitar.

- Leílson não conseguiu exercer o papel de meia-armador, não conseguiu fazer com que o CRB tivesse um domínio de bola na intermediária, buscando passes ou finalização de longa e curta distância. Leílson foi muito mais importante na marcação ofensiva e saída de bola do que armando as jogadas.

- Marcão parece não saber se posicionar bem na área. Quando a equipe chegava, a bola sempre ia curta demais ou longa demais para ele. Não consegue tomar a frente do zagueiro ou se posicionar melhor. Fica sempre no meio da área, nas costas do defensor. Conseguiu perder chances que estava cara a cara com o goleiro. É de se preocupar, já que foi contratado para ser titular. Mas mesmo assim fez um gol importante.

Ficha técnica

João Carlos; Ayrton, Everton Sena, Anderson Conceição e Diego; Claudinei, Serginho (Rafael Bastos), Edson Ratinho (Ruan) e Leílson; Willians (Manoel) e Marcão. Treinador: Mazola Júnior

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.