Header Ads

É muito cedo para ligar o alerta vermelho?

[Foto: Lucas Merçon/FFC]
É quase fevereiro, o Carnaval está dando nas nossas caras, junto com ele o calor e a ânsia geral para que se cheguem logo os dias onde será aceitável beber por 24 horas para esquecer as pequenas grandes desgraças do mundo moderno, Como eu não bebo, colaboro para que as pessoas afoguem suas mágoas enquanto eu lucro para tal feito humanitário.

Houve um tempo que a situação do Fluminense seria uma desculpa pra começar a beber, mas conforme sabemos, eu acredito que estamos na Turnê de Despedida da Série A, uma turnê que agora está sendo copiada por Elton John, que fará uma turnê de despedida de três anos. E nossa turnê será melancólica, sem ninguém cantando uma música bonita no funeral, talvez uma poesia de Pedro Bial, um discurso rejeitado para algum ex-BBB.

Quem lê esses dois parágrafos acima imagina que estou desviando do assunto, mas o ponto é que não há muito a ser dito. O esquema com três zagueiros é uma má ideia. Não temos algo parecido com um time. O ataque estaria melhor com um cone e um fantasma, ao menos esse teria uma desculpa decente pra estar sumido do jogo. Falando em sumidos, Junior Sornoza basicamente apareceu ontem para o Luis Carlos Jr. dizer que ele tem que aparecer mais, o que acabou acontecendo, mas ainda assim como coadjuvante quando o juiz criou uma expulsão perto do fim do jogo.

O jogo foi em Edson Passos, uns 15 minutos de casa, em que pese ser o jogo da TV, até estaria disposto a ir se houvesse um time por lá. Fui no rodízio sem arrependimentos. Falando em rodízio, vejo que fazer um rodízio de jogadores pra ver se a situação melhora não vai adiantar muito. Marcos Jr. é o nosso titular absoluto juntamente com Pedro, que não é o das Casas Pedro, nem pra vender fruta cristalizada serve.

Enquanto não temos ataque, a diretoria está ocupada arranjando volantes, talvez pra garantir que o navio seja bem guiado pra bater no iceberg. Ao menos contratamos um goleiro, não teremos que colocar gente de 15 anos no banco como foi na Flórida. Conversando com a cúpula tricolor ontem durante o jogo, foi dito que não merecemos a classificação pras semifinais, que precisávamos dessas duas semanas pra melhorar o time, algo que quem conseguir já vai pro Vaticano direto ser canonizado. O time é pior que o do ano passado, Abel está perdido, eu não posso reclamar do Autuori porque ele chegou duas ou três semanas atrás.

O ponto é que o juiz roubou a Portuguesa, que fora o pênalti não dado dominou o jogo, bolas na trave, basicamente só não venceu o jogo por azar, não posso nem rir das derrotas dos rivais, eu não venci ninguém esse ano ainda nesse ano sombrio.

Adianta citar alguém que entrou no segundo tempo se em tese o time mudou o esquema, mas esqueceram de avisar os laterais, que subiam ao mesmo tempo? Robinho, Mateus Alessandro, Menino Caio, ninguém mudou nada. Romarinho causou perigo, obviamente não era o nosso.

A melhor (ou pior) parte de tudo é que normalmente o Carioca serve para nos dar alguma ilusão sobre como o time estará na temporada, golear uns times, dar confiança pros jogadores ruins, talvez até conseguir uma venda marota pra Ásia. Nem isso estamos tendo, nenhuma esperança, nenhum time. O desespero é real e ainda é janeiro. Só Juninho Pernambucano que poderia ter a pachorra de afirmar na Globo que não entende como a torcida do Fluminense está impaciente com o time.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.