Header Ads

O repeteco que não queríamos

O CRB viajou para a capital de Pernambuco (Recife), para enfrentar a equipe do Santa Cruz em jogo válido pela 3ª rodada da Copa do Nordeste. Parecia que o mesmo filme da Série B do ano passado se repetiria, onde o Galo iria vencer a partida. 
Com o fim do primeiro tempo e o CRB a frente do placar, esse filme estava mais perto ainda de se repetir. Mas depois foi outra lembrança que voltou a tona, a das falhas individuais que custam uma vitória.

Foto: Aldo Carneiro
Com um começo avassalador, parecia que uma bela vitória aconteceria. Já se lembrava da brilhante vitória na Série B da última temporada no Arruda contra o mesmo Santa Cruz. Mas o CRB perdia gols foram mais de cinco grandes chances para colocar logo no primeiro tempo um placar bem elástico.
De tantas oportunidades desperdiçadas na primeira etapa, não seria justo o primeiro tempo terminar sem o Galo marcar um gol. E este "prêmio" veio. Já no fim, bola alçada na entrada da área, Neto Baiano disputa, a bola cai no pé de Willians Santana, o meia chuta colocado e o goleiro faz a defesa. Mas na volta, Edson Ratinho estava bem posicionado para marcar a favor do Galo. CRB 1 a 0 no primeiro tempo.
Na volta pro segundo tempo, parecia outra equipe. A postura já não era mais a mesma. Era outro CRB, mais fechado e esperando o adversário.
Então o Santa Cruz foi, e encontrou no lado esquerdo da defesa do Galo a solução. Investiu por ali e em dois lançamentos a partir do lado da lateral de Manoel, essa bola chegou na área. Na primeira, Conceição cortou mal, Boaventura tentou cortar em seguida e acabou tocando para Héricles. O jogador driblou os dois zagueiros, e com calma bateu colocado no canto de João Carlos para empatar a partida.
E na segunda chegada pelo mesmo lado, diferente da anterior, essa foi feita em um cruzamento rasteiro já pelo fundo. A bola passou pela defesa, e Boaventura tentou cortar, mas acabou chutando a bola em João Carlos. A bola encontrou Robinho, atacante do Santa Cruz que logo chutou para o gol e virou a partida. Santa Cruz 2 a 1 CRB.

Análise

As várias chances criadas logo no início da partida mostraram que se não forem aproveitadas, algo pior poderá acontecer na defesa. Mesmo o goleiro sendo excelente, com boas atuações, os defensores não tiveram uma noite feliz. O torcedor pode até lembrar do sistema defensivo de 2016, onde era fazer cinco gols e levar seis. Ataque bom, defesa frágil. Mas uma partida tão diferente das demais, mas com alguns erros que persistem. A defesa ainda continua batendo cabeça, dificilmente algum gol sofrido pelo Galo não tenha sido falha da defesa.
Rafael Bastos não vai render, não adianta esperar. Ele não demonstra, ele realmente não quer render. Pode parecer loucura falar que ele não quer, mas é totalmente a realidade. Um jogador que opta por orgulho, não pode ser levado a sério. Não podemos esperar de um jogar desse. Desaparecido em todas as partidas que disputou, com pouco tempo de bola nos pés, é um meia que não segura a bola, não faz o jogo fluir ao seu favor. Talvez pegue menos na bola do que o atacante ou goleiro.
Manoel é um erro. Não há palavras, há só esta: Erro!

Ficha técnica

João Carlos; Ayrton, Boaventura, Conceição e Manoel (Ruan); Feijão, Serginho, Rafael Bastos (Juninho Potiguar) e Ratinho; Willians e Neto Baiano (Marcão)
Treinador: Mazola Júnior

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.