Header Ads

Líder e invicto: São Paulo vence Botafogo e mantém boa fase


Por: Thalles Monari - Twitter: @thallesmonari

Em partida válida pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Tricolor recebeu o Botafogo no Estádio Cícero Pompeu de Toledo e ampliou a boa sequência com mais uma boa apresentação.

Vindo de 2 vitórias consecutivas e de 11 jogos de invencibilidade em todas as competições, o São Paulo entrou em campo com algumas mudanças na equipe: Éder Militão e Hudson, suspensos, deram lugar a Régis e Petros, enquanto Bruno Alves e Reinaldo ficaram como opção no banco de reservas.

Para pouco mais de 25 mil torcedores presentes, o Tricolor iniciou bem a partida, e, não fosse o travessão no chute de Nenê, abriria o placar logo no começo do jogo. No entanto, o Botafogo inaugurou o marcador aos 16 minutos, com belo gol de Leo Valencia, logo após o susto no choque entre Anderson Martins e João Pedro, que inclusive obrigou o atleta botafoguense a ser substituído e levado de imediato para o hospital.

Em outros tempos, talvez, o São Paulo provavelmente sentiria o gol e encontraria grandes dificuldades no decorrer da partida, mas este é, de fato, um novo momento no Tricolor paulista. Além de não se abater com o gol sofrido, manteve o controle do jogo e logo na sequência, chegou ao gol de empate com Nenê cobrando pênalti, aos 20 minutos, e a virada veio aos 31, com Diego Souza completando cruzamento de Marcos Guilherme.

A excelente fase de ambos impressiona e até surpreende, afinal, há alguns meses o encaixe dos dois na equipe titular estava fora de cogitação e, principalmente, a contratação de Diego Souza já era taxada como fiasco para muitos. Mas a diferença agora está no comando técnico, pois, ter um treinador capaz de organizar um time já bem qualificado, e estabelecer um equilíbrio tático, a começar pelo setor defensivo, faz com que, jogadores como Nenê e Diego, que em tese, não oferecem a mesma combatividade de outros jogadores com melhor preparo físico, possam se destacar pelo que fazem com a bola, tendo liberdade no terço final do campo.

E esse bom momento do São Paulo passa fundamentalmente por um jogador específico, apesar do coletivo prevalecer. Everton, que chegou há pouco tempo no clube, vem mostrando a cada jogo que o São Paulo acertou no investimento feito. Além de oferecer uma alternativa de velocidade, sendo capaz de quebrar as linhas adversárias e criar jogadas de perigo através de seus dribles e bons cruzamentos, explorando sempre o lado do campo, Everton também é parte essencial do equilíbrio defensivo da equipe, que, quando está sem a bola, recompõe sempre de maneira muito eficiente e cobre os espaços que eventualmente Diego ou Nenê possam deixar.

Foi em jogada envolvendo esse trio que o São Paulo chegou ao terceiro gol ainda na primeira etapa. Nenê iniciou a jogada de contra-ataque, passando para Jucilei que acionou Diego Souza para lançar Everton em velocidade. O motorzinho do ataque tricolor acertou um chute forte, cruzado, para vencer Jefferson.
The END (Foto: São Paulo FC). 
No segundo tempo, até de forma natural, o São Paulo diminuiu o ímpeto e já pensando no clássico do próximo sábado, passou a cadenciar mais a partida, e Aguirre aproveitou a vantagem no placar para poupar seus principais jogadores.

O jogo ainda ficou perigoso com o gol do Botafogo próximo do fim. Rodrigo Pimpão de cabeça, deu esperanças aos cariocas, contudo, mesmo perdendo algumas chances de matar a partida, o São Paulo chegou a mais uma vitória no campeonato, e consequentemente a liderança da competição, após 115 rodadas longe do primeiro lugar na elite do futebol brasileiro.

O próximo encontro será neste sábado, pela 9ª rodada da competição, em clássico no Allianz Parque contra o rival Palmeiras. E, inegavelmente, desde a inauguração da arena palmeirense, este é de longe, o confronto em que o São Paulo chega em melhores condições, com a alta confiança e moral para buscar a primeira vitória na casa do rival.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.