Header Ads

A maldição do campeão: da virada mágica a desclassificação precoce

Um vexame histórico. Não tem outra explicação. Desde 1938 a Alemanha, atual campeã mundial, joga as fases de mata mata da Copa do Mundo. Jogava, né. Uma tradição de 80 anos terminou hoje com essa dura eliminação. A Copa do Mundo de 1994 foi a primeira disputado pela Alemanha reunificada e de lá para cá a pior campanha do país em Copas, até então, foram as eliminações nas quartas de final nos EUA e em 1998, na França.

Já a Coreia do Sul ainda tinha uma mínima possibilidade de se classificar para as oitavas de final. Era preciso uma vitória em cima da Alemanha e uma derrota da Suécia para o México. A expectativa de hoje era uma vitória certa da seleção alemã, embalada pela heroica virada por 2 a 1 em cima da Suécia na rodada passada, mas quem mandou na partida foram os sul coreanos. 2 a 0 e uma vitória que vai ficar marcada na história das Copas.

Foto: Benjamin CREMEL / AFP

Atual campeã do mundo, a Mannschaft não conseguiu exibir o futebol consistente que todos se acostumaram a ver há quatro anos e conquistou apenas uma vitória na Rússia, contra a Suécia, por 2 a 1, com o gol da virada marcado aos 50 minutos do segundo tempo por Toni Kroos. A campanha em geral da Alemanha, ainda que curta, foi muito ruim. Tirando o segundo tempo da partida contra a Suécia, que foram os momentos mais intensos de todos as seleções da Copa, o que a seleção alemã mostrou foi um time comum. Não foi por causa desse jogo unicamente que foram desclassificados. A 
Alemanha  foi muito burocrática e totalmente previsível nas três partidas. Sem um lance desconsertante, sem uma jogada de efeito, que lembrando aqui, poderia ser feita por aquele que foi deixado de fora da convocação. Leroy Sané com certeza deve ter ficado triste por não ir à Russia, mas também um pouco aliviado de não fazer parte desse fiasco. 

A Coreia do Sul não deu brechas para a seleção alemã no primeiro tempo. Extremamente obedientes na parte tática, os sul-coreanos dificultaram a vida dos rivais na busca por espaço e só permitiram que eles chegassem ao gol pela primeira vez na partida graças à uma falha própria. A defesa asiática, porém, foi capaz de se recompor sempre que precisava, dando fim rapidamente as estocadas dos alemães, já que a Alemanha tinha dificuldades de imprimir velocidade ao jogo. Isso facilitava a marcação da Coreia.
Se a Alemanha quisesse a classificação, precisaria mudar de postura. Praticamente todo time não jogou bola. Reus que foi destaque na virada sobre a Suécia não mostrou pro que veio, tendo atuação bem discreta. Ozil foi realmente à Russia? Goretzka teve sua chance de começar como titular mas não aproveitou para mostrar serviço. Talvez somente Timo Werner tenha mostrado insatisfação com o rumo que a partida estava tomando e pelo menos demostrava vontade. Khedira apagado, assim como Kross. Müller entrou no segundo tempo e parece que em situações adversas sua estrela apaga. A Alemanha não impressionou nem incomodou o sistema defensivo do time da Coreia.

Precisando reagir o quanto antes para não depender de outros resultados para se classificar, a Alemanha partiu pra cima em busca da vitória. Cercava o time coreano, trocava passes, até que chegava perto do gol, mas parava nas defesas do goleiro Jo. Também logo no início da etapa complementar vem a informação de que a Suécia abria o placar contra o México. Nesse momento a atual campeã estava sendo eliminada e ainda por cima somente um gol em cima da Coreia não era suficiente, pois empatava em todos os quesitos com a Suécia mas o cartão vermelho de Boateng da última partida deixava os alemães na terceira colocação do grupo.

Foto: Jewel SAMAD / AFP

A Alemanha, cada vez mais desesperada pelo gol, continuou martelando os sul-coreanos, mas não encontrava espaços para finalizar com mais precisão. Nesse momento, a partida entre México e Suécia já estava 3 a 0 para os suecos, o que fazia a Alemanha precisar de apenas uma vitória simples, um mísero 1 a 0 para se classificar. Mas quem abriu o placar foram os coreanos. Gwon aproveitou a sobra da cobrança de escanteio para empurrar a bola pro fundo do barbante e acabar com qualquer esperança que a Alemanha tinha de evitar sua campanha vexatória no Mundial da Rússia. Como se não bastasse, o time asiático ainda ampliou com Son, que aproveitou a ausência de Manuel Neuer no gol para receber lançamento livre e apenas empurrar para o fundo das redes. Todos os méritos a seleção sul coreana que jogou muito, teve uma tática impecável na marcação e resultado foi absolutamente justo.

Parece que temos uma maldição em cima dos atuais campeões nas últimas Copas. Fugindo apenas o Brasil campeão de 2002, todas as seleções campeãs desde 1998 foram eliminadas na primeira fase do Mundial seguinte. Mas a verdade é que a eliminação da Alemanha foi muito merecida. As atuações nos três jogos foram deprimentes e seus craques passaram longe de render o que sabem. Precisavam de uma simples vitória em cima da frágil seleção da Coreia do Sul para se classificar, já que o México era goleado pela Suécia por 3 a 0. Em vez disso amargaram dois gols impostos pela Coreia do Sul e foram eliminados, ocupando a última colocação do Grupo F.






Matheus Morais | @danosmorais_

2 comentários:

Tecnologia do Blogger.