Header Ads

Intensidade, ofensividade e motivação marcam estreia russa

Uma estreia dos sonhos. Qualquer outra definição que fuja desse contexto não fará justiça ao futebol apresentado pela seleção russa na vitória por 5 x 0 contra a Arábia Saudita em Moscou. E ousadia também. É óbvio que a fragilidade do adversário também torna o jogo mais favorável a eventuais riscos táticos que ele talvez não correria contra seleções mais fortes, porém, o resultado mostrou que Cherchesov fez bem em arriscar. 

Fonte: EuroSports
O treinador apostou em uma linha de zaga com laterais de boa qualidade no apoio, caso do brasileiro naturalizado russo e na esquerda Zhirkov que vinha atuando aberto pela ponta, mas que hoje atuou recuado com liberdade para apoiar primeiramente um Golovin que iniciou aberto pela esquerda e posteriormente Cheryshev que entrou no lugar do lesionado Dzagoev, quando Golovin voltou a atuar pela faixa central do campo. A dupla de zaga composta por duas torres (Kutepov e Ignashevich), que se mostraram seguros frente ao inoperante ataque saudita, mas que poderiam ter problemas contra ataques ágeis e de maior qualidade. 

No meio campo, dois volantes com bom poder de marcação, mas atuando com liberdade e coordenando a equipe que alternava momentos de pressão com outros de controle do jogo, Zobnin e Gazinsky, o primeiro responsável pelo início das jogadas e o segundo muito combativo e intenso, a dupla deu dinamismo ao meio de campo, com Gazinsky abrindo o placar com boa chegada na bola aérea aproveitando passe de Golovin e Zobnin dando o passe para o segundo gol da equipe, marcado por Cheryshev. Cheryshev aliás foi um dos destaques da partida, entrando aos 24 minutos e marcando dois belos gols. No primeiro deixando dois zagueiros no chão e depois acertando um belo chute no ângulo. Outro que saiu do banco e teve impacto imediato favante oi o centroavante grandalhão Dzyuba que entrou ao setenta minutos e precisou de apenas dois para fazer de cabeça o terceiro gol da equipe e no final da partida ainda deu belo lançamento para Cheryshev marcar o quarto gol.

Mas o grande destaque da equipe na partida foi o jovem Golovin. Ele que chegou à copa rodeado de expectativas e despertando o interesse de grandes clubes do futebol mundial, deu um ótimo cartão de visitas orquestrando a equipe e terminando a partida com um gol e duas assistências. No primeiro gol deu cruzou a bola para Gazinsky, no terceiro novo cruzamento para Dzyuba. Detalhe, uma assistência de cada lado do campo. Ele finalizou a atuação com belo gol de falta já nos acréscimos da partida. Mas mais do que as estatísticas o comportamento do jovem meia ao longo da partida eleva a autoestima do torcedor russo, que vê uma atuação confiante de um jovem valor, que além da técnica, mostrou vontade e intensidade cobrindo grande parte do campo. Isso, aliado à a bela atuação coletiva da equipe ajuda a espantar a desconfiança em torno de um time que não vencia há quase um ano.

É importante salientar a fragilidade do adversário, porém, há muitos motivos para se comemorar a atuação da equipe, que superou a tensão da estreia, aproveitou ao máximo o apoio da torcida, se impôs em campo e fez um ótimo resultado que a coloca provavelmente como a líder do grupo na rodada podendo decidir sua classificação já no próximo confronto com o Egito. São muitos motivos para se liberar a vodka hoje em Moscou.

Por Gil Costa

https://www.facebook.com/GilCostatp 

 



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.