Header Ads

Huesca 0x1 Real Sociedad – Vitória descontrolada e irresponsável

Juanmi no momento em que recebia o segundo amarelo por reclamação. Descontrole do time foi evidente (Foto: Reprodução – MARCA)
Fizemos de tudo para não vencer, mas vencemos.
Com o gol solitário de Mikel Merino aos 64 minutos, vencemos o frágil Huesca fora de casa, no Estadio El Alcoraz, por apenas 1 a 0, graças à irregularidade do nosso sistema ofensivo e, depois, graças ao descontrole de Juanmi e, principalmente Theo, que quase colocaram tudo a perder.
O jogo em si não ofereceu muitas oportunidades de gol das duas equipes. Em poucos lances minimamente perigosos, os arqueiros argentinos Werner e Rulli não comprometeram. Merino a todo momento parecia o mais empenhado em conseguir algo novo, com Zubeldia completamente seguro entre as linhas de defesa e meio-campo.
Asier vem revezando a formação do meio-campo, desta vez um trio, mas de todas as formas que ele escale, não consegue tirar o melhor de Oyarzabal, que está em péssima fase. Menos mal que os meias, em geral, têm se saído muito bem. Zubeldia, Merino e Pardo, justamente o trio que entrou em campo na partida, são o oásis técnico de uma equipe muito irregular.
É até complicado perceber a irregularidade do time. Se na rodada passada se portou bem contra o Barcelona, ainda que derrotado, dessa vez, pela postura emocional em campo, merecia definitivamente ter perdido. Mas ganhou.
O time está completamente refém do psicológico, mais do que deveria. Taticamente “ok” e tecnicamente muito abaixo do necessário para brigar por algo na LaLiga, perde pontos em partidas que começa ganhando e, agora, perde a cabeça.
À esquerda, flagra do tapa de Theo em Musto, e à direita, sua correta expulsão. Irresponsabilidade do lateral esquerdo (autor da assistência para o gol de Merino) quase destruiu nossos objetivos (Foto: Reprodução – defensacentral.com)
Por insistência (burra) na reclamação de uma falta comum de jogo para cartão amarelo, Juanmi foi para a rua aos 71 minutos. Aos 82, o pior: um tapa na cara completamente absurdo desferido por Theo no adversário e uma expulsão justíssima que pode render uma suspensão ainda mais rígida que apenas um jogo. Com nove em campo, só não tomamos o empate e a virada porque, sinceramente, o Huesca tem um déficit técnico terrível. Ainda assim, carimbaram a trave em uma cabeçada na área e exigiram uma ou outra defesa de Rulli, que se destacou nos minutos finais do jogo, onde só poderíamos mesmo se agrupar e aguentar o bombardeio desesperado e desorganizado do time da casa.
Com a vitória, estamos provisoriamente na 8ª colocação com 7 pontos, podendo ser ultrapassados no confronto entre Betis e Bilbao e, em uma chance mínima, pelo Girona, que enfrenta o Barcelona no Camp Nou.
Posição além do que nossa irregularidade, irresponsabilidade e desequilíbrio psicológico sugere. Que contra o Rayo Vallecano, na terça-feira, se note uma evolução no time.
Ficha técnica:
SD Huesca: (4-2-3-1) Werner; Miramón, Semedo, Pulido (Sendar, min.84) e Luisinho (Ávila, min.79); Musto e Melero (cap); Gallar, Gómez (Longo, min.68) e Ferreiro; Cucho. TÉC: LEO FRANCO.
Real Sociedad: (4-3-3) Rulli; Zaldua, Aritz, Moreno e Theo; Zubeldia, Pardo (Zurutuza, min.74) e Merino; Oyarzabal (Rodrigues, min.89), Juanmi e Bautista (Navas, min.84).
Gol: 0-1: Merino, min.64.
Árbitro: Iglesias Villanueva. Amarelo para Luisinho, Cucho, Longo e Ferreiro do Huesca e Pardo da Real Sociedad. Cartão vermelho (duplo amarelo) para Juanmi no min.71 e vermelho (direto) para Theo no min.82.
Melhores momentos:












Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.