Header Ads

Tudo o que você precisa saber sobre o Campeonato Mineiro 2019 (1/2)

(Foto: Globoesporte.com)
Saudações.

Hoje o texto é especial. É sobre o Campeonato Mineiro que começa daqui alguns dias. 

Ok, nem é tão especial assim. Mas não deixa de ser bom.

Pois bem, esse guia será dividido em duas partes. Na primeira, vou falar de cinco equipes. Na segunda, sete, fechando assim, os doze times participantes da competição.

E se você está esperando um super raio-X de todas as equipes, pode fechar esta aba. Sejamos francos, nem eu e nem você queremos tanto saber dos bastidores da Patrocinense. 

Por isso, não vou ser muito detalhista nas informações. Não sei as notícias do meu próprio time, vou saber as da URT?

Sem mais delongas, vamos lá:

FÓRMULA E NOVIDADES
A fórmula de disputa é a mesma do ano passado: 12 equipes se enfrentam em turno único, onde as oito melhores se classificam para as quartas de final, semifinal e final, enquanto os dois piores são rebaixados.

A principal novidade do Campeonato Mineiro é o uso do polêmico VAR, popularmente conhecido como árbitro de vidro. Porém, tal recurso só será utilizado a partir das semifinais do torneio. A implantação da tecnologia foi discutida num conselho com os dirigentes dos clubes em outubro do ano passado e os custos serão de responsabilidade da Federação Mineira.


O Cruzeiro é o atual campeão dessa desgraça.
(Foto: Daniel Oliveira/Fotoarena/Folhapress)
SOBRE OS TIMES
ATLÉTICO: Como eu disse no texto "Analisando o Galo 2019" (clique aqui para ler na íntegra), o Galo vem se preparando bem para esse ano. Bons nomes foram contratados, como os zagueiros Réver e Igor Rabello, o lateral-direito Guga, o volante Jair e o meia Vinícius.

Se despediram do clube: Tomás Andrade, Matheus Galdezani, Juninho, Gabriel e Edinho. 

Porém, a base do ano passado e de outros anos segue a mesma, com poucas alterações: Victor; Emerson/Patric, Leo Silva, Igor Rabello, Fábio Santos; Adilson, Elias, Blanco;  Cazares, Chará; Ricardo Oliveira.

Logicamente, o Alvinegro é favorito a conquistar o seu 45° título estadual.

AMÉRICA: rebaixado no último Brasileirão, o Coelho repaginou seu elenco para este ano. 16 jogadores saíram, enquanto 9 atletas foram contratados, além da promoção de vários garotos das categorias de base. 

Para surpreender no Campeonato Mineiro desse ano, o América apostou em nomes experientes como Felipe Azevedo (ex-Ceará) e Neto Berola (ex-Galo). Além disso, repatriou ídolos recentes como Marcelo Toscano, porém, perdeu o bom goleiro João Ricardo para a Chapecoense.

Assim como em todos os anos depois da década de 1920, o América surge como a terceira força na busca pelo título, ao lado de Atlético e Cruzeiro. Não é franco favorito, mas pode surpreender, assim como na sua última conquista, em 2016.

CRUZEIRO: o rival azul não vem muito mudado para 2019. A base bicampeã da Copa do Brasil é basicamente a mesma, exceto pela saída de um dos principais jogadores do time, de Arrascaeta, que se mandou para o Flamengo.

Vários outros jogadores também deixaram a equipe, mas não com a mesma importância do uruguaio, como Rafael Sóbis, Bruno Silva, Manoel, Mancuello, Ezequiel, etc.

As contratações foram poucas. Apenas o lateral-direito colombiano Orejuela e o volante Jadson foram anunciados.

Atual campeão, o Cruzeiro é um dos principais postulantes ao título.

Depois do Galo.

BOA ESPORTE: primeiro adversário do Atlético na competição, o Boa Esporte está longe da boa fase que viveu entre 2011 e 2016. Nesse período, a equipe de Varginha quase chegou a Série A do Brasileirão duas vezes e foi campeã da Série C nacional.

Desde então, o clube boveta foi ladeira abaixo, dentro e fora de campo. Contratou o goleiro Bruno, obviamente perdeu patrocinadores, foi rebaixado, enfim...

Atualmente, o Boa tenta voltar aos bons tempos, porém, deve novamente brigar para não cair para o Módulo II.


Jakson Follmann (à dir.), campeão do interior com a URT
em 2016. (Foto: Gazeta Esportiva)
URT: A equipe de Patos de Minas vem fazendo boas campanhas desde que retornou à primeira divisão mineira, em 2014, sendo campeã do interior em 2016 e 2017. 

Inclusive, Jakson Follmann era o goleiro e capitão da equipe em 2016. Após o fim do campeonato, se transferiu para a Chapecoense e no fim daquele ano, sobreviveu ao trágico acidente com o avião do time.

Apesar de ter demitido o treinador faltando uma semana para começar o campeonato, acredito que a URT deve se classificar às quartas de finais, ou até ir mais longe. Tem como principal trunfo o pasto estádio Zama Maciel, onde os grandes times quase sempre encontram dificuldades quando vão jogar lá.

No momento, é isso. Antes do dia 20 eu volto para falar sobre os outros seis times do campeonato (Caldense, Guarani, Patrocinense, Tombense, Tupynambás e Villa Nova).

Um forte abraço - (@victismo)

SIGA O LINHA DE FUNDO!
Twitter: @SiteLF
Facebook: Linha de Fundo
Instagram: @linhadefuundo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.