Header Ads

Mulher no futebol vai muito além do esporte


Amado por todas as pessoas que tenham alma, o futebol é um dos esportes mais praticados em todo o mundo. Há alguns anos, ele vem tendo um pouco do seu espaço direcionado à uma classe que sofreu e ainda sofre um preconceito retrógrado e inútil para a sociedade. As mulheres, hoje, vão tomando, aos poucos, o seu espaço de direito no esporte mais apaixonante do universo, mas a mulher no futebol é uma questão que vai muito além do esporte.

Mulher no futebol vai muito além do esporte (Foto: Reprodução)
No Brasil, antes mesmo de Marta, Cristiane, Formiga e companhia brilharem, muitas mulheres suaram suas camisas para simplesmente jogarem futebol. Trazido ao Brasil por Charles Miller em 1894, o esporte que encantou os tupiniquins, foi ter sua primeira partida feminina registrada apenas em 1921. Considerada uma atração curiosa aos olhos de muitos, era vista com extremo preconceito à época pois era considerado um esporte brutal onde somente homens deveriam praticar.

Seguindo estes pensamentos, por meio de um decreto-lei criado, as mulheres foram proibidas de jogarem futebol, bem como praticarem qualquer tipo de esporte incompatível com a natureza feminina. Este decreto-lei fora revogado apenas em 1979, onde a partir disso, times femininos começaram a serem criados no país.

Primeiro jogo de futebol feminino (Foto: Reprodução)
O futebol feminino, no Brasil, cresceu, e deve e merece crescer mais gradativamente. Recentemente, regulamentações obrigaram times da Série A do Campeonato Brasileiro a terem suas categorias femininas profissionais e de base, assim como a CONMEBOL ordenou para os clubes poderem participar das competições sul-americanas.

Mas engana-se quem acha que mulher no futebol se limita a jogadoras. Se estende também às profissionais de imprensa, entre outros ramos. Mulheres que entendem mais de futebol que muito marmanjo por aí, não podem escrever, comentar, falar do assunto, simplesmente por ser mulher.

Futebol feminino no Brasil cresce, mas o preconceito segue o mesmo (Foto: Divulgação)
O futebol feminino é desde sempre, uma forma de talvez conseguir comunicar-se com o público feminino, coisa cada vez mais importante hoje em dia. Ele sinaliza às meninas que é possível elas poderem gostar e jogar futebol.

Apesar de ter grandes dificuldades no meio, a mulher mostra sempre a sua vontade de continuar. Ser mulher, sempre foi ter uma força vital múltipla. Foi e é ter energia, inteligência, coragem, medo, sensibilidade e vontade de seguir em frente. E é justamente essa vontade que faz todas as mulheres a seguirem em frente no que pensam ser melhor para si mesma e lutarem para acabar de vez com essa desvalorização da mulher por ser mulher.

Por: Patrick Floriani | @florianipatrick

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.