Header Ads

Primeiro passo pra ser Flamengo

(Alexandre Vidal/Flamengo)

Não adianta. Pode ser a final mais sem graça de todos os tempos que nem ontem ou um 3x1 com gol do Pet aos 43 do 2T. Ganhar do Vasco no Maracanã é sempre bom. Nem vale muita coisa, mas mesmo assim é gostoso.

Flamengo e Vasco é o jogo da minha infância. Não sei se por coragem ou extrema loucura, meus 7 primeiros jogos no Maracanã foram clássicos dos milhões que meu pai me levou. Aprendi a perder no primeiro deles. Ok. Mas aprendi a ser Flamengo ganhando do Vasco em finais de carioca.

O ritual era sempre o mesmo. Meu pai botando uma camisa branca lisa por cima do manto, ingresso e subida pra antiga arquibancada branca, se posicionar no meio do gramado. De lá vi o Juanzinho fazer o gol 2006.

E ontem fui vendo partes disso no caminho. No ponto de ônibus encontrei um senhor explicando a neta o porquê da camisa branca por cima. Encontrei os amigos no Bellini e me vi quase seduzido pelos vendedores de faixa de campeão que comprava na adolescência. Fui de leste superior, que ocupa o lugar da falecida branca, setor que não ia há pelo menos uns 4 anos.

Domingo de sol. 4h da tarde. Maracanã. Mais tradicional impossível.

O jogo em si foi bem ruim. Abel escalou errado e Valentim certo. Mas o abismo entre os dois times é mesmo muito grande. O jogo teria graça dependendo de quem fizesse o primeiro. E realmente não teve. Arão 1x0.

Daí pra frente foi esperar o jogo acabar. Foi tão fraco que cheguei a sentar em partes do jogo, enquanto o Flamengo tocava a bola sem nenhuma vontade de se esforçar. Com toda razão por sinal.

E aqui cabe um adendo. É bom ganhar do Vasco mas é muito ruim o estado que ele se encontra. Aprendi a ser Flamengo ganhando do Vasco justamente porque era difícil demais. Porque eu respeitava o Vasco.

Ontem, entrei no Maracanã e vi um número de torcedores digno do outro alvinegro carioca. Uma pena.

Digo e repito, o Flamengo precisa dos três rivais fortes. Sempre perdendo de nós, claro. Mas fortes. Quanto maiores nossos rivais, maiores seremos nós.

E foi assim sem graça.

E agora o ano começa de verdade. Com cinco desafios grandes na primeira sequência desafiadora do ano.

Vejamos agora em que pé estamos de fato. Somos um time mal treinado e não pronto, é claro.

Mas se eu aprendi a ser Flamengo sendo campeão em cima do Vasco, tomara que os caras lá embaixo também aprendido. Quero outros títulos. No final do ano, o carioca não vai ser o suficiente. Mas é um primeiro passo para voltar a ser Flamengo

No mais,
Saudações Rubro-Negras

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.