Header Ads

"Isso é o Flamengo na Libertadores"



Fora de casa na Libertadores. Com um a mais, ficou com 10. Escanteio pra gente, contra-ataque pra eles. Já perdendo por um a zero, cruzamento desvia em alguém e vai pro gol. 2x0, tendo que reverter em casa.

E a única reação possível é: "Isso é o Flamengo na Libertadores".

Além dessa frase de ontem, na mesma mesa de bar ouvi "Não tenho mais nem tesão em ver o Flamengo na Libertadores" e "Já tô anestesiado, não consigo nem ficar irritado." Isso só dos meus amigos de boteco.

É isso. A capacidade do Flamengo pra tragédias na Libertadores é cada vez mais inacreditável. Até porque, quanto mais o time melhora mais fica difícil imaginar os vexames. Mas eles acontecem. Por uma força tão inexplicável quanto qualquer coisa no Flamengo.

Jesus foi a campo com algumas mudanças no time um tanto questionáveis. Coisa de quem ainda não conhece totalmente seu grupo e de quem não confia tanto assim em certos jogadores. No primeiro tempo, o time sofreu muito pela ausência de pontas. Rafinha sofria improvisado na direita e Gerson lento demais para a ponta esquerda. O Flamengo ameaçou somente em lampejos de Gabriel, que foi de novo o jogador mais incisivo do time.

O início porém foi de um Flamengo na Libertadores. Contra o fraco time do Emelec, 9 minutos bastaram pra sair o primeiro. Erro gigante de Léo Duarte, disparado o pior titular do elenco, em lance que Diego Alves aceitou bola defensável.

O segundo tempo começou animador. Antes dos 15min, Rafinha foi corajoso pra disputar a bola com o pé do lateral equatoriano. Expulso sem o menor questionamento.

Rapidamente, Jesus acertou o time que passou a ter Bruno Henrique e Lucas Silva nas pontas. Parecia que ia funcionar.

Foi nessa hora que soltei: "Não lembro de ter visto jamais o Flamengo ter um a mais em partida decisiva de Libertadores".

Pronto. Ziquei. Os 4 lances seguintes mostrariam como o Flamengo não pode ter pra si uma situação favorável.

Primeiro: melhor chance do jogo, Lincoln recebe passe de Gerson. Sozinho com o goleiro, o atacante acerta chute que sai de Guayaquil e deve estar passando por cima dos Andes, chegando ao gol do Maracanã agora de manhã.

Segundo: após fazer um total de zero coisas durante o jogo, Diego sofreu falta forte (uma das muitas dos equatorianos) e saiu machucado. Tendo já feito as três substituições, o Flamengo perdeu a vantagem numérica, em mais um dos azares monumentais que o Flamengo tem nessa competição. Qual a chance?

Terceiro: o segundo gol do Emelec, descrito no início do texto. Foi de fazer o torcedor rir, porque de chorar já cansamos na Liberta.

Quarto: pra completar a mandinga, Renê acertou lindo chute frontal, que não só não entrou como beliscou a trave e atravessou a frente da linha do gol. Seria melhor se tivesse isolado. Me iludiria menos.

E pros deuses do futebol não dizerem que só jogam contra o Flamengo na competição, o juizão deixou de dar pênalti em carrinho de Bruno Henrique porque viu uma mão que só ele viu do jogador do Emelec no lance anterior. Seria um 3x0 avassalador.

E assim terminou uma noite daquelas pro torcedor do Flamengo. A primeira das derrotas de Jesus trouxe consigo toda a maré de azar que ele vem tendo desde que chegou. Um jogo apenas com time completo. Foram 5 jogos e 5 lesões só no ataque (Bruno Henrique, Everton Ribeiro, Arrascaeta, Vitinho e Diego).

O que resta agora é contar com a massa pra vencer na semana que vem. Com o azar que Jesus trouxe, parece cada vez mais provado que o nosso contrato não é com a turma de cima. Mas com o pessoal lá debaixo.

Tomara que não. E que semana que vem meu companheiro de bar e de arquibancada podendo dizer uma vez mais: "Isso é o Flamengo na Libertadores".

No mais, 
Saudações Rubro-negras

P.S.: Fica aqui a nota para mais uma partida deplorável de William Arão.



(Foto: Globoesporte.com)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.