Header Ads

Mulher tricolor, a origem do torcedor

(Foto: Fonte Desconhecida)


No início do século XX o futebol ainda engatinhava no território brasileiro. O Rio de Janeiro, então capital da jovem República, contava com muitas equipes de remo que no futuro iriam aderir ao futebol. O primeiro clube dedicado a prática do futebol na Cidade Maravilhosa foi o Fluminense Football Club.

Sendo pioneiro na prática do esporte bretão, o Fluminense carrega consigo uma série de singularidades, dentre estas a origem da palavra "torcedor".

Coelho Netto, fundador da Cadeira Número 2 da Academia Brasileira de Letras, foi um dos primeiros torcedores do Fluminense. O escritor era um assíduo frequentador do Estádio das Laranjeiras e seu filho "Preguinho" era jogador do Tricolor.

Enquanto acompanhava as partidas, Coelho Netto percebeu o comportamento das pessoas nas arquibancadas do estádio. As mulheres chamaram a sua atenção pelo comportamento até então inédito. As mulheres iam para a partida de futebol vestidas como se estivessem a caminho do "Grande Prêmio Brasil" (prêmio de turfe disputado ate os dias de hoje). O modelito contava com vestidos de alta costura, chapéus e luvas.

O calor de 40 graus castigava todos os frequentadores do estádio e Coelho Netto percebeu que as mulheres tiravam as suas luvas e devido ao calor e torciam as mesmas pelo nervosismo que sentiam devido a intensidade da partida.

O escritor então chamou essas mulheres de "torcedoras". A adaptação ganhou popularidade, gerou o termo "torcida" e, posteriormente, nasceu a palavra "torcedor".

O Estádio das Laranjeiras se provou como um local de resistência da presença feminina na sociedade. As "torcedoras" foram protagonistas na cultura do futebol brasileiro, um ambiente históricamente machista. 

Eu, como torcedor de futebol, agradeço as tricolores do passado pelo seu papel que é reconhecido até hoje por todos os amantes de futebol nesse país. Mesmo que esses não saibam, quando vibram pelo seu time eles exaltam a resistência feminina e carregam consigo um pouquinho de tricolor.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.