Header Ads

Ricardo Oliveira ainda conhece o caminho do gol

Foto: Atético/Flickr
Sempre fui fã do Ricardo Oliveira. De verdade. Na primeira vez que eu o vi jogar, no São Paulo, em 2010, já o queria no meu time, por ser rápido, bom batedor de faltas e muito goleador.

Em 2013 (ou 2014, não lembro), meu desejo quase se realizou. Mas por algum motivo o Pastor não fechou com o Galo e foi parar no Santos, pouco tempo depois. E por lá, continuou jogando em altíssimo nível.

E eu só queria vê-lo jogando pelo Galo...

Até que em 2018, o homem chegou. Mesmo com 38 anos na época, ele ainda continuava com as qualidade que eu citei no começo do texto. Além disso, era muito mais barato e bom de grupo do que o Fred, que estava deixando o Galo naquele momento.

Aos poucos ele ia mostrando a que veio, fazendo muitos gols, apesar das várias oscilações do time durante a temporada. Já em 2019, começou voando até entrar numa seca sem precedentes, errando absolutamente tudo. Era visível a insegurança na cara do artilheiro, perdendo gols bobos que ele, em boa fase, jamais perderia.

Em meio a todo esse momento ruim, vi aqui e ali algumas críticas à idade do Ricardo Oliveira, inclusive "sugestões" para que ele se aposentasse.

No entanto, acho esse papo de idade uma baita conversa fiada. O Pastor corre MUITO durante todos os jogos e raramente é substituído por questões físicas ou se lesiona. O problema dele é psicológico. É mais do que evidente que a falta de gols o afetou. Até no jogo de ontem, contra o Fluminense, o camisa 9 precisou perder umas três chances claríssimas para finalmente conseguir desencantar depois.

Espero que a partir de agora sua confiança volte e com ela, mais gols. Pois Ricardo Oliveira ainda tem muitas alegrias a nos dar. Ele ainda sabe o caminho do gol.

Beijos.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.