Header Ads

Somos Hepta!


Foto: Flamengo/Divulgação/ Twitter

Eu cresci ouvindo sobre o time de 81, sobre como aquele time encantou ao ver em campo, suas conquistas, seus feitos. Hoje vejo o time de 2019 conseguindo algo que nem o time de 1981 conseguiu, em menos de 23 horas, o Flamengo foi campeão da Copa Libertadores e do Campeonato Brasileiro, mesmo sem entrar em campo.

Esse texto é sobre o Campeonato Brasileiro, onde com quatro rodadas de antecedência e uma pilha de recordes sendo quebrados rodada após rodada, o Flamengo foi heptacampeão.

Em um início de campeonato abaixo do esperado com Abel Braga, o Flamengo acumulou duas derrotas nas cinco primeiras rodadas do Brasileirão. Pressionado, Abel Braga saiu do cargo e deu lugar a Marcelo Salles, integrante da comissão técnica fixa do clube, que comandaria o time nos últimos três jogos antes da parada da Copa América. O “Fera” conseguiu duas vitórias e um empate e deixou o time em terceiro colocado, em um momento que parte da imprensa dizia que o título já era do Palmeiras.

A parada para a Copa América chegou e caiu como uma luva. Peças-chave foram adicionadas: Gerson, Filipe Luís, Rafinha, o impressionante Pablo Marí e no comando a contratação de um português que 90% dos brasileiros não tinham a menor ideia de quem era, Jorge Jesus, experiente treinador que nunca tinha obtido sucesso fora de Portugal.

Com o “Mister”, o Flamengo no Campeonato Brasileiro, teve um início avassalador com um sonoro 6-1 sobre o Goiás no Maracanã. O time mostrava uma postura melhor, mas ainda não era brilhante. Ainda no início do trabalho, na 13ª rodada, quarto jogo sob o comando de JJ, o Flamengo sofre uma derrota por 3-0 para o Bahia, que viria a ser sua última derrota no Campeonato até hoje.

Desde então, o Flamengo evoluiu rodada a rodada, conquistando pontos preciosos e vendo seus rivais diretos tropeçarem, assumiu a liderança em uma vitória por 3-0 sobre o Ceará no Castelão, com um gol de Arrascaeta digno de Puskas. De lá para cá, demonstrações de força impressionantes como a vitória por 3-0 sobre o Palmeiras, no Maracanã.

A epopeia rubro-negra, nem se fosse escrita por roteiristas de Hollywood seria tão perfeita, tão com a cara do Flamengo. O troféu do Brasileirão será entregue no jogo de returno contra o mesmo Ceará, contra quem no primeiro turno, conquistamos a liderança.

Sabe todas aquelas histórias que ouvi falar sobre o Flamengo de 1981? contarei sobre o de 2019.

O melhor time brasileiro que vi jogar.

O grito entalado, enfim foi solto. Depois de 10 anos, somos Hepta!

SRN,

Luiz Otávio
@kurumiin

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.