Header Ads

Como chega o Vasco para o Campeonato Carioca


Entra ano, sai ano. E o Vasco da Gama chega para mais um ano sem as melhores expectativas. 2020 não aparece, para o torcedor, como um ano de glórias e conquistas como os anteriores. Tudo o que o torcedor pode esperar é uma campanha regular, sem muitos sustos. De fato, parece um pouco utópico, em um prognóstico sincero, pensar em qualquer coisa além da zona de sul-americana no brasileiro. 

Mas deve-se pensar jogo após jogo. No dia 19/01, o cruzmaltino enfrenta o Bangu, em jogo válido pelo Campeonato Carioca. No banco de reservas, o clube contará com Abel Braga que, apesar de vencedor, não é exatamente um treinador de confiança hoje. Os últimos trabalhos de Abel (no Flamengo e no Cruzeiro) não dão a melhor perspectiva para a torcida vascaína. Porém, há um asterisco que serve de alento: o modo de pensar futebol de Abel não é muito diferente do de Luxa; por isso, tem-se, pelo menos, uma pequena expectativa de continuidade. Mas muito pequena. Fato é que Abel é símbolo de um futebol conservador e ultrapassado, cada vez mais combatido por novos treinadores que parecem dar razão aos especialistas, que assim o definem.

Na montagem do elenco, então, a torcida queria mais do que o apresentado até então. O único reforço apresentado foi Germán Cano e a expectativa em cima do atacante, porém, é excelente! O argentino chega com uma média de 34 gols nas últimas duas temporadas. O que a torcida espera, evidentemente, é que a carência de um bom 9, que tanto assola a equipe, seja suprida. E bem suprida. Por outro lado, ainda há a expectativa pela contratação de um zagueiro, um lateral, um volante e um meia. Não há, por ora, nomes para as 3 últimas posições: e isso pode custar caro para o time durante a temporada.

Por sua vez, no que compete à zaga, a bola da vez é a volta de Dedé! Aproveitando-se da péssima situação do Cruzeiro que quer se desfazer de alguns medalhões para aliviar a folha salarial na Série B , o Gigante da Colina quer o retorno de seu ídolo, por empréstimo, até o final de 2020. A expectativa em torno da volta do principal ídolo da história recente do Vasco é altíssima; e Dedé e Castán parece, de fato, uma excelente dupla de zaga para a temporada do carioca. E a equipe precisa de alguém para substituir Oswaldo Henriquez, titular na temporada passada que não renovou o contrato.

Não há definição, ainda, em torno da manutenção de Fredy Guarín. O volante colombiano deseja permanecer, mas para tal exige o pagamento de salários atrasados; por sua vez, já está definido que Rossi não fica para a nova temporada. Alguns nomes Lucas Santos, Rafael Galhardo e Jordi   retornaram ao elenco após empréstimo. Não são, porém, jogadores que enchem os olhos do torcedor. Galhardo saiu muito manchado com a torcida, e a imagem de Jordi também não é a melhor com os vascaínos. Lucas Santos, porém, divide opiniões: alguns consideram a prata da casa muito talentosa, mas outros afirmam que ele está longe de estar pronto para a exigência do profissional.

Acertadamente, o time manteve boa parte da base do ano passado. Alguns nomes que não vingaram foram embora aí incluídos Clayton, Valdívia, Cáceres, entre outros. Porém, os principais nomes foram mantidos. Yago Pikachu, Fernando Miguel, Talles Magno, Leandro Castán etc. vão prosseguir no Vasco nesta temporada. 

Naturalmente, a equipe vascaína chega como uma das favoritas ao título do Carioca. Isso não ocorre, evidentemente, por grandes méritos do cruz-maltino; mas simplesmente porque os grandes sempre chegam com esse status. Com a opção do Flamengo por não jogar com o time principal, então, as chances dos outros três grandes aumentaram muito. Isso não significa, porém, nada para o resto da temporada. Basta lembrar do ano de 2015: nessa ocasião, o Vasco foi campeão do estadual e rebaixado para a série B. Estadual nunca será parâmetro, pro bem ou pro mal.

De resto, há algumas novidades pra além do campo. O acerto do Gigante da Colina com a Havan dá boa perspectiva para a equipe de São Cristóvão. Espera-se um bom ganho econômico com essa parceria, o que será utilizado, em primeira instância, para o pagamento de dívidas. Em segundo plano, há expectativa, em médio prazo, por reforços na estrutura e no elenco. A rescisão com a Diadora também foi notícia nesse início de ano. A substituta para o projeto que não deu certo será a Kappa, que ocupará o posto de fornecedora esportiva após o término do estadual.





Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.