Header Ads

Internacional e sua assustadora postura

Pela primeira vez, nos últimos 15 anos, vemos o Colorado começar um brasileirão sem ser um dos favoritos. Ainda mais perdendo os únicos dois jogadores tops que tínhamos: D’Alessandro e Alisson. Talvez essa situação seja boa para alguns Colorados, mas o que poderia ser um início de prospero longe dos holofotes virou um caos na frente das câmeras.

O jogou mostrou por si só o que vai ser o campeonato o ano todo, um retrancão. A Chapecoense montou uma retranca gigante, estacionou o ônibus e nem a Nossa Senhora dos Horrores, presente no estádio, conseguiria marcar um gol. Eles marcaram bem e tentavam sair para o contra-ataque, que nunca funcionou, mas era eficiente. Já o Inter não teve capacidade alguma de conseguir construir jogadas, demonstrando o quão importante é o Anderson para o clube. O Colorado foi carente na armação das jogadas de ataque, e as três chances que teve decorreram de jogadas fortuitas. Faltou ousadia, e o empate foi justíssimo.

Time que faz da bola área sua arma, te um centroavante de 1,73m. (Foto: Deive Pazos)
É muito preocupante o que estão fazendo com a instituição do Inter, um clube grande que se apequenou tanto. Na verdade é inconcebível. O pênalti sofrido por Andrigo e que foi desperdiçado pelo "batedor oficial" Paulão, passou batido diante da falta de ambição que foi demonstrada dentro de campo. O clube INTEIRO precisa entender que a atual maneira de que o time se porta dentro das quatro linhas é algo bisonho. O Inter é limitadíssimo, dentro do Gaúchão demonstrou isso, jogadas de lateral de campo e chuveirinho na área não vai fazer desse time algo melhor, futebol moderno se joga com aproximação para fazer a infiltração, as jogadas de lateral são uma OPÇÃO, e hoje o Internacional se agarra na opção e faz dela sua "tática".

Ou Argel se convence de que o Inter é grande, ou nos resta, mais uma vez, a zona intermediária do futebol nacional. Muito pouco.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.