Header Ads

A cabeleira e as mãos salvadoras

Desde a sua chegada no início do ano, Kempres foi muito criticado por sua passagem apagada por Joinville. Porém, com a vinda de Caio Júnior, o atacante aos poucos foi se destacando e, por sua vontade e característica de não ficar esperando parado dentro da área, roubou a vaga na equipe titular do artilheiro Bruno Rangel.

Foto: Gilberto Pace Thomaz
Na manhã quente deste domingo (11), quando o Verdão recebeu o Coritiba na Arena Condá, com sua famosa cabeleira, Kempes marcou o único gol da partida e, junto com os milagres do goleiro Danilo, garantiu mais três pontos na tabela, afastando ainda mais o fantasma do rebaixamento.

O primeiro tempo foi de muito equilíbrio e forte marcação de ambos os lados, o resultado de empate não ajudava nenhuma das equipes. O jogo era quente e os visitantes não demoraram para assustar, primeiro com João Paulo em cobrança de falta, quando Danilo pulou no cantinho e espalmou em escanteio. Na segunda chance, foi a vez de Alan Santos chutar forte, mas novamente Danilo fez grande defesa e salvou o Verdão.

Ainda na primeira etapa, Carpegiani foi obrigado a fazer duas substituições, já que Walisson Maia e Neto Berola sentiram contusão e deixaram o gramado. A Chapecoense demorou, mas acordou na partida quando Kempes recebeu em velocidade, ganhou da marcação, driblou dois jogadores do Coxa e chutou colocado, mas para fora do gol de Wilson. Aos 39 minutos, as melhores chances da partida estiveram do lado da Chape, Arthur Maia chutou na trave e o rebote caiu nos pés de Gil, que chutou para boa defesa de Wilson. Em seguida, Rangel teve a chance, mas Juninho salvou e, na última tentativa, Arthur Maia de novo chutou para o gol, mas Wilson espalmou e salvou o Coritiba.

O resultado não interessava em nada a Chapecoense, por isso Caio Júnior voltou para o segundo tempo mais ofensivo e Lucas Gomes entrou na vaga de Gil. Com a bola rolando, assim como foi na primeira etapa, os visitantes começaram assuntando e o goleiro Danilo operando milagres para salvar a Chape na cabeçada de Alan Santos.

O tempo ia passando e, conforme o ponteiro do relógio acelerava, a pressão ficava ainda maior para ambas equipes. O placar só foi inaugurado aos 25 minutos, quando, após troca de passes entre Dener e Arthur Maia, o meia cruzou e encontrou Kempes e sua cabeleira, ganhando a disputa com a zaga, empurrando a bola para o fundo da rede e explodindo a Arena Condá de felicidade.

Com o gol e a vantagem, a maldição de recuar a equipe voltou na Chapecoense e Arthur Maia deixou o gramado para a entrada de Sérgio Manoel, junto veio a pressão total do Coxa em busca do empate.

Mas mal sabia o Coritiba que Danilo estava em uma manhã iluminada. Após cruzamento, Iago mergulhou e cabeceou, entretanto o goleiro bem colocado salvou. A pressão do Coxa continuava e foi a vez foi Luccas Claro de cabeça mandar para as mãos de Danilo. Na terceira e última oportunidade da partida, Leandro tentou surpreender o goleiro do Verdão, chutando rasteiro no cantinho, mas lá estava Danilo para salvar de novo e garantir a vitória para a Chape.

Parece mesmo que a equipe não aprende com os erros. Novamente, após sair em vantagem, recuou e só não sofreu o empate e até a virada por que Danilo estava em uma manhã inspirada. Vimos novamente os problemas sofridos diante do Santa Cruz no meio de semana, como já foi falado, é uma herança maldita que parece nunca ter fim na Chapecoense.

A goleada por 1x0 deixa a Chapecoense com 34 pontos na tabela e, pelas contas dos matemáticos do futebol, faltariam onze para garantir a permanência na Série A 2017. Na próxima rodada, o Verdão viaja para o Rio de Janeiro, quando enfrenta o Fluminense na quinta-feira (15), às 19h30, no Estádio Edson Passos.


Marcelo Weber || @acfmarcelo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.