Header Ads

Quem poderá duvidar de nós?

Foto: Jéssica Santana / Flamengo
Lembro-me bem que, um ano atrás, estávamos vivendo um gostinho de como seria estar no topo do Campeonato Brasileiro novamente. Depois de cinco anos, voltávamos ao G4 com uma vitória por 3 a 0 no Maracanã. Desta vez, muitos acreditaram que, assim como aquela história, esta terminaria sendo mais uma ilusão. Porém, ainda há quem duvide da ação dos deuses do futebol com o Flamengo. Nunca estivemos tão vivos na luta por mais um título.

Não tem sido fácil, isso todos nós sabemos. Um ano complicado, uma montanha-russa emocional e a ausência de nosso principal palco. Porém, encontramos na Nação Rubro Negra nossa casa e, desta forma, o Flamengo percebeu que não precisa de uma cidade para ser o Mais Querido que tanto buscávamos. Jogo a jogo, a desconfiança que um dia era predominante se transforma em fé buscando o (im)possível. Sim, nós temos o direito de sonhar os sonhos mais loucos, pois desta vez nada parece tão distante.

Zé Ricardo pode não ser o treinador mais experiente, com uma carreira brilhante e diversos títulos, mas ele precisa de apoio e, principalmente, tempo. Se antes criticávamos o Flamengo do tão conceituado Muricy Ramalho, hoje estamos em segundo lugar, ponto a ponto com o líder do campeonato e buscando o título da Copa Sul-Americana. A principal pergunta não é se ele é ou não o nome que o torcedor tanto sonhou. É porque não confiar em Zé?

Times ganham jogos e elencos vencem campeonatos. É por isso que, finalmente, o Flamengo está disputando o título. Se antes vivíamos em uma oscilação confusa e estressante, hoje, mesmo não jogando bem, estamos organizados, conquistando as vitórias improváveis. Não temos heróis, um ícone, um salvador. Temos um grupo que, com as peças certas, conseguiu se encaixar e hoje faz com que até os mais contestados virem destaque. A corneta dá lugar aos elogios - e que bom que eles estão calando a nossa boca.

Foto: Reprodução/Internet
Fé. Duas letras que dizem mais do que diversas palavras podem explicar. A fé rubro-negra está longe do racional e do compreensível, nós sabemos disso. Porém, quem pode duvidar desse time? Saímos da última colocação para a Libertadores da América em 2007 com Joel Santana. Em 2009, Andrade assumiu como interino e nos levou ao sexto Campeonato Brasileiro. E 2013, quando Jayme de Almeida superou as expectativas e vencemos outra Copa do Brasil? Não tem lógica, apenas uma viagem louca e maravilhosa que é ser torcedor do Mais Querido.

Enfrentaremos o maior desafio da temporada e precisamos superar todos os problemas, além de deixar claro que não estamos nesse campeonato de brincadeira. Diante do Palmeiras, a união de tudo que o Flamengo representa será nossa maior arma e precisamos buscar o resultado. Contra tudo e contra todos, vamos sem torcida visitante em um ambiente hostil. Nossa vontade é maior do que todos os problemas. Vamos buscar essa vitória em São Paulo e, enfim, deixar a bandeira vermelha e preta no topo, de onde nunca deveria ter saído.

Mariana Sá | @marigarboggini 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.