Header Ads

Tite chegou e trouxe a esperança junto

Na noite desta quinta-feira, o Brasil foi a campo para enfrentar o Equador, na altitude de Quito. A partida tinha tudo para ser especial: estreia de Tite, a Seleção se reerguendo no futebol, o histórico favorável contra o Equador e, não menos importante, a possibilidade de uma vitória em Quito. A Seleção brasileira vinha para a partida empolgada com a conquista do ouro e buscando continuar se reerguendo no futebol após alguns vexames. A expectativa era de uma vitória, mas uma derrota não seria absurda devido ao curto tempo de trabalho que Tite teve para esse confronto.

Neymar, Gabriel Jesus, Marcelo, Coutinho e Casemiro comemorando o gol da Seleção.
Foto: AFP
Na etapa inicial, o Equador veio para o "abafa" e tentava pressionar a saída de bola do Brasil de todas as formas possíveis, quase nos causando um grande problema já nos primeiros minutos de partida. Jefferson Montero, pela esquerda, voou mais alto que Daniel Alves e Casemiro e quase abriu o placar para os donos da casa. O Equador teria feito o primeiro gol se não fosse Miranda, já que o zagueiro e, agora capitão da Amarelinha, estava bem posicionado e evitou o gol. O Brasil teve um bom toque de bola, boas triangulações e algumas tentativas sem sucesso. O primeiro tempo terminou morno e empatado.

Para o 2º tempo, as duas equipes voltaram sem alterações. Já no minuto inicial, Neymar recebeu na ponta canhota, abriu para o meio e chutou forte, com muito perigo para o goleiro, mas a bola não entrou. Aos 15 minutos, Tite resolveu mexer na equipe e trocou Willian por Philippe Coutinho, "o pequeno mágico", como é chamado. A entrada de Coutinho ajudou a melhorar a parte técnica da equipe, provou que a escolha foi boa e o Brasil estabelecia uma pressão sobre o Equador, que tentava se defender da melhor forma possível.

O Brasil tentava com Renato Augusto, aos 18 minutos, com Neymar tirando tinta da trave, aos 19', mas o gol só veio aos 26'. Após uma boa jogada, Gabriel Jesus passou por Mina e foi derrubado pelo goleiro Domínguez dentro da área. Neymar foi para a cobrança e bateu forte no canto direito do goleiro, que pulou bem, mas não conseguiu alcançar. Equador 0x1 Brasil. A Seleção seguiu bem na partida e ampliou aos 41'. Após cruzamento de Marcelo, Gabriel Jesus de calcanhar fez Equador 0x2 Brasil. E, para "fechar o caixão", Jesus recebeu de Neymar, girou e bateu no ângulo, sem chances para o goleiro. Equador 0x3 Brasil, com direito a um show de Jesus.

Gabriel Jesus, destaque da partida, comemorando seu gol.
Foto: Rodrigo Buendia/AFP
Nesse texto, quero destacar a atuação positiva da Seleção e a estreia de Tite. Há algum tempo não via o Brasil fazendo boas partidas ou, sequer, vencendo fora de casa. Há algum tempo que também não via jogadores vibrando em campo com a camisa Amarelinha, que é pesada, como vi nos jogos e se repetindo com Gabriel Jesus ao sofrer o pênalti. Há algum tempo que não via a equipe jogando com alegria, entrosada e fazendo boas trocas de passes. Acredito que essa mudança de postura do Brasil tem um nome e me arrisco a dizer que é o de Tite.

Tite e Neymar comemorando o primeiro gol do jogo
Foto: Pedro Martins/MoWA Press
Pouco antes dos Jogos Olímpicos, Tite foi anunciado como novo treinador da Seleção e poderia comandar o Brasil nas Olimpíadas, mas o próprio técnico rechaçou e preferiu que Micale fosse mantido. No entanto, quando alguma emissora transmitia partes dos treinos em matérias de telejornais, Tite estava sempre ao lado de Micale - acredito que passando um pouco de seu conhecimento - e agora, com apenas 12 dias após os jogos, o que é pouquíssimo para uma preparação, ele conseguiu transmitir aos atletas a sua filosofia de trabalho e parece ter resgatado a verdadeira Seleção.

Tenho dito e repito, Tite chegou e trouxe a esperança de que voltaremos a ser uma Seleção respeitada e temida pelos nossos adversários. Tite chegou e trouxe a esperança junto.

LEO FERNANDES || @leo_fernandes_9
LINHA DE FUNDO ||  @SiteLF

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.