Header Ads

Mudanças significativas e a "reestreia" no calvário da Série C

Caros tricolores, a desclassificação na semifinal do Campeonato Cearense, diante do Ferroviário, teve uma repercussão bastante negativa, perante a nação tricolor, que estava prevendo o pior, se algo de imediato não fosse feito dentro do clube. Nessas semanas sem compromissos oficiais aconteceram fatos importantíssimos que vão refletir muito no segundo semestre e no nosso centenário em 2018.

1- Renúncia de toda diretoria:

O Presidente Jorge Mota e seus vices Ênio Mourão (integrante da Confraria Tricolor) e Evangelista Torquato pediram afastamento de seus cargos sucumbindo à pressão e abdicaram de suas funções dentro do clube. O começo de ano horrível e as decisões completamente erradas e amadoras contribuíram para esse fracasso. Os relatos de salários dos funcionários atrasados em três meses e as constantes brigas internas e a inexplicável falta de recursos acentuaram essa queda.

2- Conselho Gestor e eleições em 40 dias:

A renúncia fora anunciada para dar lugar a um grupo gestor formado por empresários cearenses de sucesso, Armando Júnior, Maurício Guimarães, Ribamar Bezerra e Luís Eduardo Girão, juntamente com o atual diretor de futebol Marcelo Paz. O presidente interino do clube é o Marcelo Desidério, presidente do conselho deliberativo e que irá convocar eleições nos próximos 40 dias, provavelmente com uma chapa única encabeçada por Maurício Guimarães. As eleições no clube estão marcadas para o dia 10 de Junho.

3- Troca de comando técnico e o mercado da bola: 

O técnico Marquinhos Santos foi demitido, pela chegada desse conselho gestor, que entende que era necessária uma modificação para mudar os ares do elenco e trazer um nome da confiança da nova diretoria.O mesmo Marquinhos concedeu uma entrevista a emissora local, relatando a realidade dos salários atrasados e a instabilidade política do clube. Paulo Bonamigo foi o escolhido para o seu lugar, que já esteve no Fortaleza em 2007, conquistando um certame estadual. Ele estava no futebol árabe e havia feito estudos na Europa.

Saídas: atacante Zé Carlos, os meio-campistas Rodrigo Andrade, Esquerdinha e Juninho Potiguar, o volante Gáston Filgueira, lateral Alan Vieira e o zagueiro Gabriel Silva.
Chegaram ao Pici, os meias Adenílson (ex-Guarani de juazeiro) e Hiago (ex-Sergipe) vice-artilheiro da Copa do Nordeste e o Jovem Natan ( que volta de um empréstimo junto ao Oeste) e também quase certa a contratação do atacante Leandro Cearense, que estava no Paysandu nesse primeiro semestre.
O meia Cássio Ortega foi reintegrado ao grupo, a pedido do novo técnico.
Fortaleza estreia na Série C no dia 14, às 19hs contra o Remo, no estádio Mangueirão.

4 - Chegada do novo diretor de futebol:

Na última quarta-feira (10), foi apresentado o novo diretor de futebol, um velho conhecido da torcida tricolor, Sérgio Papellin, que estava no Cuiabá e foi campeão estadual com o mesmo. No Fortaleza, conquistou cinco títulos estaduais, um acesso para a Série A e uma manutenção na primeira divisão. Nos sete anos que esteve fora do Pici, passou por vários clubes como: Luverdense, Paysandu, tendo campanhas vitoriosas nessas agremiações.


Opinião do colunista:

A renúncia da diretoria era algo notório e iria ocorrer mais cedo ou mais tarde e a chegada desses novos diretores reacende uma esperança de salvar o ano e quem sabe o centenário em 2018. O elenco ainda precisa de muitos ajustes (dispensas e contratações), pelo menos cinco ou seis jogadores que venham para serem titulares absolutos. Pelo visto o elenco não será tão modificado e iremos com esses jogadores em busca do acesso.

Nos anos anteriores entravamos na competição com um time pronto e que possuía o aval da torcida, nesse ano, pelo visto, o time irá sendo moldado dentro do certame e não possui nenhuma confiança da nação tricolor.

A nossa função é apoiar, incentivar, estar junto com o time em mais uma jornada dolorosa de Série C, e esperamos que o final seja feliz, com o acesso do clube e uma Serie B no ano do centenário.

Um apelo, a nova diretoria, leve os jogos do time ao Estádio Presidente Vargas, mais acanhado, mais fácil à localização e que se transforma em um caldeirão com a torcida tricolor. E mais um aviso: Menos marketing e mais futebol.

Juntos lutaremos pelo acesso, já se passaram oito anos e não desistimos, não vai ser agora que iremos te abandonar.

#BORALEÃO

#JUNTOS PELO ACESSO

 Por: Gabriel Viana / @GabrielVianaSo3
 Twitter: @SiteLF 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.