Header Ads

Despedida à luz de Vela

Ontem foi um dos dias mais emocionantes da minha vida como torcedor da Real Sociedad. Um daqueles dias que fazem a gente reforçar o quanto estamos dedicando os nossos sentimentos a coisa certa. Ontem foi o dia de se despedir de Carlos Vela.

Com sua família, sendo ovacionado no Anoeta, antes da partida começar (J. SERRANO/GETTY IMAGES)
Mas a história não era apenas essa. Há seis jogos sem vencer, enfrentávamos um sempre complicado Sevilla em casa, treinado por Eduardo Berizzo, que também enfrentou um drama pessoal com a operação de retirada de um câncer na próstata. Antes do jogo, Carlos Vela foi ovacionado junto a sua família no centro do campo pela torcida txuri-urdin, que aproveitou e também cantou gritos de apoio ao treinador adversário, em recuperação pós-cirurgia.

E o jogo começou com uma grande surpresa: Iñigo Martínez titular na lateral esquerda! O que parecia uma pardalzice sem precedentes acabou se provando um grande acerto, com o zagueiro de ofício fazendo o primeiro gol de cabeça e dando uma assistência muito especial. Antes disso, no minuto 11, mais homenagens da torcida a Vela, com lanternas ligadas durante um minuto, o minuto de sua camisa.

Com a formação ofensiva mais técnica, tendo Januzaj e Canales pelos flancos, o nosso time controlou os tempos do jogo com costuma sempre acontecer, mas o lado direito rojiblanco tentava assustar pelo lado direito, com a dobradinha Corchia e Krohn-Dehli. Iñigo Martínez soube neutralizar o ímpeto adversário e ainda achou tempo para um gol de cabeça após segunda bola de um escanteio, que culminou em um cruzamento de Odriozola e uma cabeçada no contrapé do goleiro David Soria. Antes do final do primeiro-tempo, o empate. Após bela jogada começada por Krohn-Dehli, Ben Yedder finalizou por baixo de Rulli e nos fez ir para o intervalo com a mesma frustração dos últimos jogos.

Então, acreditem, brilhou a estrela de Eusebio. Sim, ele trocou bem!

Primeiramente, a amplitude gerada com a entrada de Oyarzabal oxigenou o time, dificultando a vida do sistema defensivo sevillano. E então, a troca certeira, que parecia uma furada, de Zurutuza, já cansado, pelo pivot Zubeldia, rendeu já no primeiro lance a projeção do garoto da camisa 5 em uma jogada ofensiva onde só parou nas redes, SEGUNDOS DEPOIS DE ENTRAR!

Melhor momento psicológico para a entrada de Carlitos Vela, impossível. E ele entrou, aos 78 minutos, no lugar de Canales. Embora em uma função inicialmente de extremo, foi aparecendo no centro da área que ele completou com categoria cruzamento do imenso lateral esquerdo Iñigo Martínez, o melhor da partida com sobras, matando o jogo e levando todo o Anoeta à loucura!

Com o fim do jogo, atenções todas voltadas novamente ao mexicano, que ficou muito emocionado com todos os eventos em sua homenagem durante o jogo, podendo coroar de maneira sublime sua história de seis anos e meio de Real Sociedad, quando veio em busca de redenção na carreira a um time emergente, com uma jovem e boa base de talentos: Illarramendi, Iñigo Martínez e Antoine Griezmann. Por aqui, se encontrou e mostrou que sempre foi um jogador de alto nível.

Nesta temporada, já prometido à nova franquia da MLS, o Los Angeles FC, foi muito poupado, e entrou apenas poucos minutos por partida na LaLiga, mais precisamente 375 minutos em 13 jogos, sendo este seu primeiro gol na temporada e último de toda a sua trajetória na Real Sociedad, que aponta 75 gols em 252 jogos, de acordo com dados do AS.

Agora, após toda essa longa jornada, ele vai seguir seu caminho se firmando, sim, como um dos grandes ídolos da história da Real Sociedad. Posso dizer que minha ficha demorou a cair, mas após o jogo de ontem não posso considerar Vela menos do que um gigante de San Sebastián, ainda que nascido em Cancún. Ele se tornou, e sempre será, um de nós, e nos brindou com a melhor despedida possível. Sentiremos saudades do nosso Rei Asteca, do nosso craque iluminado e de todos os trocadilhos possíveis com nosso querido Carlitos que, por favor, me permitam brincar pela última vez, entrou aceso como ninguém ontem…

#ESKERRIKASKOCARLOS

Ficha técnica:

Real Sociedad: (4-3-3) Rulli; Odriozola, Llorente, Navas e Iñigo; Illarra, Zurutuza (Zubeldia, min.76) e Prieto (cap); Canales (Vela, min.78), Januzaj (Oyarzabal, min.60) e Willian José.

Sevilla FC: (4-2-3-1) Soria; Corchia (Nolito, min.81), Geis, Kjaer e Escudero (cap); Pizarro e Banega; Krohn Dehli (Muriel, min.81), Ganso (Franco Vázquez, min.64) e Sarabia; Ben Yedder.

Gols: 1-0: Iñigo, min.17. 1-1: Ben Yedder, min.45. 2-1: Zubeldia, min.76. 3-1: Vela, min.90.
Árbitro: Hernández Hernández. Amarelo para Navas da Real Sociedad e Ben Yedder, Pizarro, Corchia, Vázquez e Kjaer do Sevilla
Público: 17.205 espectadores.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.