Header Ads

Isso é Libertadores

Nesta quinta-feira(15) ocorreu a estréia do Santos na Copa Libertadores da América. Não estranhe, mas é impossível considerar a partida contra o Real Gacillaso como uma estréia. O adversário da vez fora o tradicionalíssimo Nacional do Uruguai, que como o peixe, também tem três títulos da competição.

O Jogo :

A partida propriamente dita foi muito emocionante, digna de uma Libertadores. Dois times de "muito peso" se enfrentaram em um Pacaembu vazio, mostrando mais uma vez a falta de comprometimento da torcida santista. O Nacional, segundo colocado do campeonato uruguaio, veio à São Paulo para tentar quebrar o aproveitamento de 81,8% do Santos em partidas de Libertadores no estádio da capital, o time da vila nunca perdeu.

O primeiro tempo foi muito movimentado, já teve confusão logo no início. Rodrygo se desentendeu com Giménez, Gabriel Barbosa tomou as dores e tomou cartão amarelo. Uma das curiosidades dessa partida foi a grande quantidade de cartões distribuídos logo no primeiro, foram sete. O jogo estava bastante pegado, mas o Santos demostrava ampla superioridade, tanto na individualidade de seus jogadores quanto no sistema tático montado por Jair Ventura.

O primeiro gol saiu de uma cobrança de falta perfeita de Jean Mota na cabeça do exímio cabeceador Eduardo Sasha, que mesmo com seus 1,73m vem se aproveitando muito dessa qualidade e fazendo gols(50% de seus gols na temporada foram de cabeça). Aos 44 minutos Santos perdeu Gabriel Barbosa, expulso a partir de uma forte entrada e se mostrando imaturo desfalcou o Santos na partida mais importante do ano até agora. O primeiro tempo se encerrou com o time da casa acuado e sem saber o que fazer por estar com um a menos.

Sasha, o artilheiro do peixe na temporada. ( Por : Instagram oficial do Santos FC )
A segunda etapa começou diferente, o peixe entrou em campo bem organizado, com uma substituição bem ofensiva apesar de ter um jogador a menos. Dodô entrou no lugar de Vecchio, aquele entrou na lateral esquerda e Jean Mota foi para o meio campo dando mais velocidade. Rodrygo e Sasha estavam se entendendo perfeitamente, e o menino de 17 anos estava inspirado. Logo aos 48 minutos Rodrygo recebeu a bola antes da linha de meio campo, acelerou, deixou dois marcadores para trás e bateu de perna esquerda na saída do goleiro. Santos 2 a 0.

O time dos meninos da vila continuava dando trabalho, dominando a partida mesmo com um a menos. A genialidade de Jair Ventura estava evidente, Alisson e Léo Cittadini dominaram o meio campo sem dar espaço para os uruguaios. Os visitantes descontaram aos 82 com Giménez e logo após aos 83 Sasha fechou o placar. Vitória santista por 3x1 com um jogador a menos.

Aspectos Táticos :

O alvinegro mostrou vários pontos positivos em questão tática. Jair ventura em entrevista pós jogo evidenciou os esquemas de ataque e defesa. Sendo usado 4-3-3 de forma ofensiva e 4-1-4-1 de maneira defensiva. Sasha e Rodrygo Góes além de serem os " homens gol" da partida têm uma função de essencial importância na formação do time; Eles acompanham o lateral adversário e pressionam a saída de bola, ou seja, fundamentais. Cittadini é o maestro, mesmo jogando de segundo volante é ele quem dita o ritmo do time. 

Aspectos Técnicos :

Aqui é onde fica evidente a qualidade desse time santista. Os novos meninos da vila são de incrível responsabilidade e consciência tática.Sabem escutar perfeitamente as ordens do treinador e isso mostra a força psicológica destes. Sasha e Alisson vêm sendo os principais destaques individuais da equipe. Ambos vêm tendo relevância principalmente pela raça demostrada, Sasha é incisivo e muito frio na hora de concretizar jogadas; Já Alisson tem sangue quente, é um dos melhores desarmadores do país em números e com a assistência para o terceiro gol se mostrou bastante capaz e técnico. Dodô é uma surpresa recente, com atuações seguras já faz a torcida se esquecer de Zeca. Gabriel Barbosa é um assunto fora de questão neste momento. 

Pra terminar, deixo com vocês uma imagem que representa o sentimento da torcida pelo garoto Rodrygo Góes que com o golaço marcado contra o Nacional-Uru já desperta grande expectativa : 

Montagem feita pelo Santos Depressivo que ilustra a ansiedade da torcida com a nova estrela.
Nascer, viver e no Santos morrer é um orgulho que nem todos podem ter.


Por : Gabriel Ferraz / @_vsferraz

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.