Header Ads

Herói improvável garante vitória no clássico Vovô

Antes do início da partida, a fisionomia dos jogadores não deixava esconder a enorme pressão que pairava sobre os dois clubes. Ambos só haviam vencido apenas uma vez no período pós-Copa e observavam o Z-4 se aproximar perigosamente. Na tabela, a diferença entre as equipes era de 4 pontos. A vitória era obrigação.

Depois de se beneficiar de gols contra nas duas últimas rodadas, os jogadores do Fluminense teriam uma nova oportunidade para cumprir a árdua missão de balançar as redes, fato que não se concretizava há 4 jogos. Em busca disso, Everaldo, o jogador mais insinuante nas partidas anteriores, mostrou iniciativa com suas arrancadas pelo lado esquerdo, criando as melhores possibilidades para o Fluminense.

Após escanteio, Everaldo sacou uma bicicleta no meio da área do Botafogo e acabou dando uma assistência para o zagueiro Digão abrir o placar no clássico aos 10 minutos da primeira etapa. A partir daí, o tricolor passou a dar espaços ao time alvinegro que se lançava desordenadamente para conseguir o empate.

Foto retirada na página no Twitter Fluminense Stuff

Sem o domínio do jogo, restou ao Fluminense se defender e quebrar as tentativas do rival que se resumiam em bolas alçadas na área. Ao todo, o Botafogo só teve uma grande chance de empate. Já passavam dos 30 quando Erik, atacante do alvinegro, cabeceou cara a cara com o goleiro Júlio César que, estático, impediu o gol.

Na segunda etapa, mais uma vez o Fluminense começara melhor, sempre com ele, Everaldo. O meia-atacante surgia com investidas ousadas pelo lado esquerdo, combinando passes envolventes com o lateral Ayrton Lucas, que se mostrava mais participativo.

Ao longo dos 45 minutos finais, a tônica do jogo era a mesma: o Botafogo lutando contra si mesmo para conseguir o empate, e o Flu administrando a vitória parcial, abusando dos contra-ataques, mas sem matar o jogo.

A partida já estava tomando um ritmo de fim de festa, quando Erik recebeu um lançamento de Igor Rabelo e cruzou para área. A trajetória da bola indicava mais uma bagunça na cozinha tricolor, mas foi interceptada pelo braço do lateral Ayrton Lucas. Pênalti.

Rodrigo Lindoso, capitão alvinegro, assumiu a responsabilidade para a batida. Contra ele, o goleiro Rodolfo que vindo do banco, fazia apenas sua segunda partida com a camisa do Fluminense. De reserva a herói, Rodolfo defendeu o pênalti e assegurou a vitória no clássico.

Foto retirada do site globoesporte.globo.com
O resultado leva o Fluminense a primeira parte da tabela com 31 pontos no 8º lugar, com a ressalva de poder cair uma posição em caso de vitória do Santos em seu confronto contra o Paraná. Pela frente, o tricolor terá uma semana cheia de treinos de preparação para o próximo jogo, que ocorrerá no domingo que vem contra o Atlético-PR fora de casa. 

ST
Caio Ramos


Um comentário:

Tecnologia do Blogger.