Header Ads

CEARÁ S.C 2018: Do inferno ao céu

É amigos, o ano alvinegro não foi nada fácil, mesmo o inicio da temporada sendo bastante promissor o que vimos após o campeonato estadual foi para deixar até os torcedores mais otimista incrédulos, vivenciamos na pele o pior inicio de campeonato Brasileiro da história dos pontos corridos. Quem diria que em meio ao colapso, o pedido de demissão de Jorginho seria o recomeço, desconfianças a parte, veio o Lisca e com seu jeito louco de ser, ressuscitou o time que já era dado como morto e operou outro milagre. Mesmo com tanta turbulência, o vovô ainda consagrou-se bicampeão estadual sem sustos em cima do maior rival e mais uma vez ficou entre os melhores times do nordeste.

O ano de 2018 do Ceará foi complicado, mas no fim houve outro milagre. FOTO: Davi Maia

AS COMPETIÇÕES

CAMPEONATO DO NORDESTE: Poderia ter chegado lá

A lampions league desse ano foi diferenciada, começou em janeiro e terminou lá em junho no meio da Copa do Mundo, quando iniciou a competição o Ceará estava voando e passou em primeiro lugar no seu grupo, nas quartas já em meio a crise que instalou-se em Porangabussu, dois empates com o Crb/AL que garantiu a vaga nas semifinais. Diante o Bahia não tivemos sorte e muito menos competência, no jogo de ida na Arena Castelão o alvinegro foi derrotado por 1 a 0 e na outra partida empate sem gols, onde foram criadas até algumas chances de gol, porém desperdiçadas por Douglas Coutinho. Resumindo, o Ceará poderia ter ido mais longe, porém a má fase do time pesou e acabamos ficando nas semifinais.

POSIÇÃO: 4º
JOGOS: 10
VITÓRIAS: 4
EMPATES: 4
DERROTAS: 2
GP: 15
GC: 7
SALDO: 8

APROVEITAMENTO (%): 53,3%

1º FASE - Grupo D

Salgueiro 0 x 2 Ceará - Cornélio de Barros
Ceará 1 x 0 Csa/AL - Arena Castelão
Sampaio Correa 1 x 0 Ceará - Castelão
Ceará 2 x 1 Sampaio Correa - Arena Castelão
Csa/AL 1 x 1 Ceará - Rei Pelé
Ceará 6 x 0 Salgueiro - Arena Castelão

QUARTAS DE FINAL

Crb/AL 3 x 3 Ceará - Rei Pelé
Ceará 0 x 0 Crb/AL - Arena Castelão

SEMIFINAIS

Ceará 0 x 1 Bahia - Arena Castelão
Bahia 0 x 0 Ceará - Arena Fonte Nova

O destaque da equipe no Campeonato do Nordeste foi o menino Arthur. FOTO: Lucas Moraes/CearaSc

CAMPEONATO CEARENSE: Fácil, extramente fácil

Sem sombra de dúvidas foi um campeonato sem sustos, o alvinegro jogando três competições simultaneamente foi obrigado a muitas vezes jogar com o time considerado alternativo e mesmo assim não sofreu para chegar a decisão. Nas semifinais, uma goleada de 6 x 0, no antigo Uniclinic, hoje Atlético Cearense e no jogo da volta uma derrota de 1 x 0, que tirou a vantagem pelos resultados iguais, que na finalíssima não faz falta, pois o Ceará arrastou o bicampeonato passando por cima do time colorido com duas vitórias por 2 x 1. Falando em clássico rei, esse ano foram quatro, três vitórias e um empate, ou seja o ''ex goleiro'' ainda não sabe o que é vencer o maior jogo do futebol cearense.

POSIÇÃO: 1º
JOGOS: 18
VITÓRIAS: 12
EMPATES: 3
DERROTAS: 3
GP: 43
GC: 19
SALDO: 24
APROVEITAMENTO (%): 72,2%

1º FASE

Ceará 5 x 2 Guarani de Juazeiro - Presidente Vargas
Iguatu 2 x 1 Ceará - Morenão
Floresta 3 x 1 Ceará - Presidente Vargas
Ceará 1 x 1 Ferroviário - Arena Castelão
Ceará 2 x 0 Uniclinic - Arena Castelão
Fortaleza 0 x 2 Ceará - Arena Castelão
Ceará 2 x 1 Horizonte - Arena Castelão
Maranguape 1 x 5 Ceará - Presidente Vargas
Tiradentes 1 x 3 Ceará - Presidente Vargas

2º FASE

Ceará 1 x 1 Fortaleza - Arena Castelão
Ferroviário 0 x 3 Ceará - Presidente Vargas
Ceará 3 x 3 Iguatu - Arena Castelão
Ceará 2 x 1 Uniclinic - Arena Castelão
Ceará 2 x 0 Floresta - Presidente Vargas

SEMIFINAIS

Uniclinic 0 x 6 Ceará - Presidente Vargas
Ceará 0 x 1 Uniclinic - Arena Castelão

FINAIS

Ceará 2 x 1 Fortaleza - Arena Castelão
Fortaleza 1 x 2 Ceará - Arena Castelão

Ceará consagrou-se bicampeão cearense em cima do maior rival. FOTO: Opovo

COPA DO BRASIL: Foi bom enquanto durou

Depois do vexame de 2017, o Ceará estreou na Copa do Brasil diante o Brusque/SC fora de casa, em uma partida marcada pelo refletor (que não queria funcionar) o alvinegro venceu por 1 a 0, com gol do ''lateral esquerdo'' Rafael Carioca. Na segunda fase, outra vez longe do seu torcedor o alvinegro venceu o Londrina de virada, com gols de Juninho e do menino Arthur. Na terceira fase o adversário foi o Atlético Paranaense e deixamos de vencer o jogo na Arena da Baixada, pois o furação jogou boa parte do jogo com um jogador a menos e perdemos inúmeras chances de gol, já em Fortaleza o empate em 1 x 1 levou a decisão para as penalidades e Wescley desperdiçou sua cobrança, assim classificando os paranaenses.

POSIÇÃO: 23º
JOGOS: 4
VITÓRIAS: 2
EMPATES: 2
DERROTAS: 0
GP: 4
GC: 2
SALDO: 2
APROVEITAMENTO (%): 66,7%

1º FASE

Brusque 0 x 1 Ceará - Augusto Bauer

2º FASE

Londrina 1 x 2 Ceará - Estádio do Café

3º FASE

Atlético/PR 0 x 0 Ceará - Arena da Baixada
Ceará 1(5) x 1 (6) Atlético/PR - Arena Castelão

Alvinegro foi eliminado nos penaltis diante o Atlético/PR. FOTO: Mauro Jefferson/CearaSc

CAMPEONATO BRASILEIRO: A superação

Com o bi campeonato estadual conquistado o Ceará partiu para a competição mais importante do ano, logo na estreia veio o prenuncio o que seria o começo da competição, um gol contra e outro dado pelo zagueiro Luis Otávio, resultado derrota para o Santos no Pacaembu. O time de Marcelo Chamusca já entrava em campo como derrotado, ele nas próprias entrevistas citava que o time não possuía o poderio financeiro das outras equipes, sem vencer e nem convencer não demorou muito para Chamusca ser demitido. Eis que surge Jorginho, o tetra campeão chegou e pra ser bem sincero, fez nada, além de levar três derrotas na bagagem, pediu demissão alegando problemas pessoais (foi assumir o Vasco). Em nove partidas o alvinegro somava apenas dois pontos ganhos e mergulhado em uma das piores crises da sua história, a desconfiança era tanta que alguns conselheiros pediam em meados de junho para o presidente iniciar o planejamento de 2019. Contra tudo, até mesmo a torcida chegou Lisca, o perturbado nos seus três primeiros jogos somou dois pontos, mas nada da tão sonhada vitória.

A parada da copa ajudou ao time ganhar uma cara, estilo de jogo e principalmente preparo físico e no retorno do campeonato, ufa, a primeira vitória no Presidente Vargas lotado contra o Sport, com gol de Arthur. A partir dali, iniciou-se uma das maiores campanhas de reabilitação já vista, o time tachado ao rebaixamento foi de degrau a degrau subindo, mas ainda virou o primeiro turno na zona da degola. Já com Lisca no comando, a situação ficou bastante conturbada após duas derrotas seguidas diante São Paulo no Morumbi e o Bahia no Presidente Vargas, porém quando ninguém acreditava o vovô bateu o Flamengo em pleno o Maracanã e no jogo seguinte derrotou o Corinthians com direito a um golaço de falta do goleiro Everson.

O Ceará mostrou no segundo turno que não iria desistir da permanência na elite do nosso futebol, mesmo com todas as dificuldades, entre elas o elenco mais que limitado, as vitórias vieram e o chegamos na reta final do campeonato vivos. A vitória sufocante contra o Paraná em casa, nos deixou em uma situação ''confortável'', precisando vencer ou até mesmo empatar a partida seguinte, o empate veio e a combinação de resultados também e o Ceará conseguiu manter-se na série A.

POSIÇÃO: 15º
JOGOS: 38
VITÓRIAS: 10
EMPATES: 14
DERROTAS: 14
GP: 32
GC: 28
SALDO: -6
APROVEITAMENTO (%): 38,6%

1º TURNO

Santos 2 x 0 Ceará - Pacaembu
Ceará 0 x 0 São Paulo - Arena Castelão
Ceará 0 x 3 Flamengo - Arena Castelão
Corinthians 1 x 1 Ceará - Arena Corinthians
Ceará 2 x 2 América/MG - Arena Castelão
Vitória 2 x 1 Ceará - Barradão
Ceará 0 x 1 Grêmio - Arena Castelão
Chapecoense 2 x 0 Ceará - Arena Condá
Ceará 0 x 1 Cruzeiro - Arena Castelão
Botafogo 0 x 0 Ceará - Nilton Santos
Ceará 2 x 2 Palmeiras - Arena Castelão
Atlético/MG 2 x 1 Ceará - Independência
Ceará 1 x 0 Sport - Presidente Vargas
Internacional 1 x 0 Ceará - Beira Rio
Ceará 0 x 2 Bahia - Presidente Vargas*
Ceará 1 x 0 Fluminense - Presidente Vargas
Paraná 0 x 1 Ceará - Durival de Britto
Ceará 0 x 0 Atlético/PR - Presidente Vargas
Vasco 1 x 1 Ceará - São Januário

2º TURNO

Ceará 1 x 1 Santos - Presidente Vargas*
São Paulo 1 x 0 Ceará - Morumbi
Flamengo 0 x 1 Ceará - Maracanã
Ceará 2 x 1 Corinthians - Arena Castelão
América/MG 0 x 0 Ceará - Independência
Ceará 2 x 0 Vitória - Arena Castelão
Grêmio 3 x 2 Ceará - Arena do Grêmio
Ceará 3 x 1 Chapecoense - Arena Castelão
Cruzeiro 0 x 2 Ceará - Mineirão*
Ceará 0 x 0 Botafogo - Arena Castelão
Palmeiras 2 x 1 Ceará - Pacaembu
Ceará 2 x 1 Atlético/MG - Arena Castelão
Sport 1 x 0 Ceará - Ilha do Retiro
Ceará 1 x 1 Internacional - Arena Castelão
Bahia 2 x 1 Ceará - Arena Fonte Nova
Fluminense 0 x 0 Ceará - Maracanã
Ceará 1 x 0 Paraná - Arena Castelão
Atlético/Pr 2 x 2 Ceará - Arena da Baixada
Ceará 0 x 0 Vasco - Arena Castelão

* Jogos adiados ou antecipados pela CBF.

Lisca, o doido que manteve o Ceará na elite. FOTO: CearaSc

TAÇA FARES LOPES: Pra esquecer...

Mais uma vez o Ceará usou a Fares Lopes para utilizar os jogadores que não eram utilizados no profissional e observar os meninos da base. O alvinegro não teve exito na competição, terminando na lanterna, onde em sete partidas disputadas, o vovô apenas empatou três e perdeu as outras quatro.

POSIÇÃO: 8º
JOGOS: 7
VITÓRIAS: 0
EMPATES: 3
DERROTAS: 4
GP: 1
GC: 7
SALDO: -6
APROVEITAMENTO (%): 14,3%

OS TREINADORES


Os treinadores do Ceará em 2018. FOTO: Davi Maia
Marcelo Chamusca

O comandante do acesso a Série A, Marcelo Chamusca começou o ano de bem com a torcida alvinegra, vitórias convincentes, avançando de fase nas competições, nenhuma derrota nos clássicos e o titulo cearense. Porém seu carma começou no brasileiro, onde o time não conseguiu vencer, sua demissão foi oficializada após perder para o Vitória por 2 a 1 em Salvador. Em 2018, Chamusca comandou o Ceará em 35 oportunidades, com 18 vitórias, 10 empates e 7 derrotas.

Jorginho

Esse veio, passou nem 15 dias e não deixou nenhuma saudade, foram apenas três partidas, três derrotas e nenhum gol marcado (com ele o time não criava oportunidade, quem dirá fazer gol). Resumindo a melhor coisa boa que esse infeliz fez no comando do Ceará foi pedir demissão.

Lisca

Veio do hospício para dizer que de doido ele não tem nada, pegou um time sem esperanças, sem futebol e com qualidade mais que duvidosa e fez jogar bola. A torcida que boa parte não viu com bons olhos o seu retorno, começou a depositar suas esperanças no treinador sensação do Brasil. Em números, com Lisca o Ceará somou 42 pontos (o time terminou com 44) em 31 partidas, mais um milagre do homem a frente do time do povo.

OS INTERINOS

Daniel Azambuja

Daniel comandou a equipe apenas uma vez, logo após a demissão de Marcelo Chamusca diante o empate em 0 x 0 contra o Crb/AL na Arena Castelão.

Luis Felipe Santos

O treinador da Fares Lopes, fez nada além de passar vexame, seu único feito foi ser melhor que o Jorginho (que não é grande coisa).

Desempenho dos treinadores em 2018. FOTO: Davi Maia

OS JOGADORES

Não foi um ano fácil, esse time teve sim seus valores, mas muitos pernas de pau principalmente nos ''reforços'' no inicio do brasileirão. Os que já estavam aqui, o badalado Juninho iniciou o nacional tão ruim quanto o time (perdemos as contas de quantos gols foram entregues), Felipe Azevedo, um dos jogadores que a torcida acreditava bastante, foi uma lástima. Também tiveram aqueles que fizeram por onde ter o reconhecimento, Andrigo no pouco tempo que aqui passou, demonstrou ter qualidade e as chegadas de Juninho Quixadá e Leandro Carvalho foram determinantes na campanha de reação da equipe. Segue a lista dos atletas que vestiram o manto alvinegro na temporada:

GOLEIROS (5): Everson, Diogo Silva, Fernando Henrique, Renan e Matheus Cabral;
LAT. DIREITOS (4): Samuel Xavier, Arnaldo, Leandro Silva e Renato;
LAT. ESQUERDOS (4): Felipe Jonatan, João Lucas, Romário e Rafael Carioca;
ZAGUEIROS (7): Tiago Alves, Luis Otávio, Valdo, Eduardo Brock, Patrick, Bruno Pires e Rafael Pereira;
VOLANTES (11): Richardson, Juninho, Edinho, Fabinho*, Pedro Ken, Naldo, Parrudo, Ernandes, Pio**, Raul e Matheus Lira (ultimo é da base);
MEIAS (7): Andrigo, Cardona, Juninho Quixadá, Leandro Canhoto, Reina, Ricardinho e Wescley;
ATACANTES (16): Arthur, Éder Luis, Alex Amado*, Hyuri, Robinho, Juninho Piauiense, Calyson, Leandro Carvalho, Douglas Coutinho, Élton, Felipe Azevedo, Luidy, Rafinha, Ricardo Bueno, Roberto e Romário Rodrigues.

* Fabinho atuou de lateral direito.
** Pio também atuou de lateral direito e meio campo.

Abaixo, a listagem dos jogadores contratados em 2018, a maioria deixaram o clube antes do termino da temporada. Alguns, como nos casos de Leandro Carvalho, Juninho e Wescley que o clube tem interesse para a próxima temporada, porém precisará negociar com os clubes detentores dos seus passes.

As ''contratações'' do Ceará em 2018. FOTO: Davi Maia
NO GERAL

JOGOS: 77
VITÓRIAS: 28
EMPATES: 26
DERROTAS: 23
GP: 95
GC: 73
SALDO: 22
APROVEITAMENTO (%): 47,6%

COMO MANDANTE
JOGOS: 37
VITÓRIAS: 16
EMPATES: 14
DERROTAS: 7
GP: 47
GC: 30
SALDO: 17
APROVEITAMENTO (%): 55,9%

COMO VISITANTE
JOGOS: 40
VITÓRIAS: 12
EMPATES: 12
DERROTAS: 16
GP: 48
GC: 43
SALDO: 5
APROVEITAMENTO (%): 40,0%

MAIORES GOLEADAS
Aplicada – Uniclinic 0 x 6 Ceará – Campeonato Cearense
                   Ceará 6 x 0 Salgueiro - Campeonato do Nordeste
Sofrida – Ceará 0 x 3 Flamengo– Campeonato Brasileiro


QUEM MAIS JOGOU
1º - Everson (Goleiro) 65 partidas;
2º - Arthur (Atacante) 55 partidas;
3º - Felipe Azevedo (Atacante) 55 partidas.

Pela terceira temporada seguida, o goleiro artilheiro foi quem mais atuou pelo clube. FOTO: Lucas Moraes/Cearasc
ARTILHEIROS
1º - Arthur (Atacante) - 24 Gols;
2º - Elton (Atacante) - 7 Gols;
3º - Felipe Azevedo (Atacante) e Andrigo (Meia) – 6 gols cada.

ARTILHEIROS POR POSIÇÃO
Goleiro: Everson - 1 gol;
Lateral Direito: Pio - 4 Gols;
Lateral Esquerdo: Rafael Carioca – 1 Gol;
Zagueiros: Valdo – 3 gols;
Volantes: Juninho – 3 Gols;
Meias: Andrigo– 6 gols;
Atacantes: Arthur – 24 Gols.

O menino Arthur foi o artilheiro da equipe no ano. FOTO: CearaSc

LÍDERES EM ASSISTÊNCIAS
1º - Pio (Volante) - 8 Assistências;
2º - Richardson (Volante) - 7 Assistências;
3º - Arthur (Atacante) e Wescley (Meia) - 6 Assistências.

LÍDERES EM CARTÕES

AMARELOS

1º - Richardson (Volante) - 17 Cartões;
2º - Samuel Xavier (Lat. Direito) - 10 Cartões;
3º - Luiz Otávio (Zagueiro) - 9 Cartões.

VERMELHOS

1º - Samuel Xavier (Lat. Direito) - 2 Cartões;
2º - Luiz Otávio (Zagueiro), Arthur e Leandro Carvalho (Atacantes) - 1 Cartão cada;

O CAPITÃO

1º - Tiago Alves (Zagueiro) - 26 jogos;
2º - Richardson (Volante) - 21 jogos;
3º - Ricardinho (Meia) - 13 jogos.

O zagueiro Tiago Alves foi um verdadeiro lider dentro e fora de campo. FOTO: Mateus Dantas/Opovo

OS REIS DO DEPARTAMENTO MÉDICO

JOGOS E IDAS AO DM

Romário Rodrigues - 58 jogos no Departamento Médico;
Reina - 32 partidas e 3 idas ao Departamento Médico;
Rafael Pereira - 4 idas ao Departamento Médico;

LESÕES MAIS COMUNS

Coxa - 15 vezes;
Joelho - 08 vezes (03 cirurgias);
Tornozelo - 07 vezes;
Quadril - 03 vezes;
Pé - 02 vezes;
Ombro - 01 vez;
Mão - 01 vez;
Não informado - 08

Atacante Romário foi o jogador que passou mais tempo no DM. Foto: Cearasc

PÚBLICOS E RENDAS EM 2018

Mesmo com a eminencia de rebaixamento no Campeonato Brasileiro o alvinegro conseguiu ter bons números referentes a públicos e rendas nesta temporada. No ano, tivemos a 9º melhor média de publico do país e no brasileirão a quinta melhor, com mais de 28 mil torcedores.

MAIORES PÚBLICOS

1º - Ceará 0 x 0 Vasco - 57.223 pagantes
2º - Ceará 0 x 3 Flamengo - 51.952 pagantes
3º - Ceará 1 x 0 Paraná - 48.077 pagantes
4º - Ceará 1 x 1 Internacional - 42.149 pagantes
5º - Ceará 2 x 1 Corinthians - 39.112 pagantes

A torcida alvinegra novamente vez não decepcionou. FOTO: Futebol Interior
Mais uma vez o campeonato estadual foi bastante deficitário, mesmo assim o alvinegro conseguiu ter boas arrecadações com bilheterias nesta temporada, a renda liquida foi de R$ 5.389.290,38, um numero bastante positivo, tendo em vista o mal momento que a equipe enfrentou e o fato de ter mandado diversas partidas no Presidente Vargas.

MAIORES RENDAS LÍQUIDAS

1º - Flamengo 0 x 3 Ceará - R$ 1.124.837,57;
2º - Ceará 2 x 1 Corinthians - R$ 727.170,95;
3º - Ceará 0 x 0 Vasco - R$ 680.577,40;
4º - Ceará 2 x 2 Palmeiras - R$ 648.886,99;
5º - Ceará 0 x 0 São Paulo - R$ 475.878,77.

Por Davi Maia @davims

Colaboração: Mario Henriques @mariohenriques


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.