Header Ads

Da terra do Canguru ao Ninho de Pássaro: O tour de pré-temporada do Arsenal

Há duas semanas, o Arsenal arrumou as malas, juntou os rapazes e rumou a outros continentes. Primeiro um tempo pela Austrália. Em seguida, o destino foi a China. Além de jogar amistosos para ganhar ritmo, fazer testes e se recuperar das férias, viagens como essas são, principalmente, para a exposição da marca pelo mundo afora. E como visto, tem dado muito certo, já que os australianos e, em especial o povo chinês, recepcionaram calorosamente toda a delegação dos Gunners. Uma amostra do tamanho e da força do clube, mesmo em continentes mais distantes. É a globalização em constante processo de aproximação.

E nós aqui do site, que dedicamos nosso tempo para seguir fielmente clubes de fora, e o futebol europeu de forma geral, somos bons exemplos dessa onda que só tende a crescer pelas próximas gerações. Pois, não há distância que seja capaz de limitar sentimentos tão fortes quanto o amor e a admiração por um clube de futebol, seja de qual canto ele for.

A viagem do Arsenal foi também uma boa oportunidade de apresentar as novidades para a próxima temporada, tanto com novos atletas, quanto com os novos uniformes. A começar pelos novos kits, o torcedor Gooner encontra-se extremamente satisfeito, já que desta vez, acredito que não existirão críticas à Puma quanto à criação dos novos uniformes. Se no kit home ela não fugiu do habitual e até deixou-o mais bonito para a nova temporada, no kit away e, principalmente no third, eles capricharam e inovaram. Com simplicidade e diversidade de cores, o azul voltou a ganhar espaço nas vestimentas do clube, desta vez, no entanto, com uma tonalidade mais clara, um azul celeste, ganhando tom mais escuro na parte de baixo, com a utilização do efeito dégradé. Mas, a grande repercussão ficou em torno do terceiro uniforme para a temporada, e segundo muitos, um dos mais belos desta nova época europeia. Impulsionado pela campanha Step Out, o kit third faz parte do novo conceito da Puma, que com o slogan “Exit the Shadows. Light Up the Game” (Saia das sombras. Acenda o jogo), lançou 23 novas camisas de clubes com o a cor escura e os tons em neon. A inspiração no uniforme grafite do Arsenal, foram as noites londrinas.

Veja abaixo os novos kits lançados no tour pela Austrália:

Lacazette, Giroud, Cech, Koscielny, Monreal e Özil posando com o novo kit third (Foto: Arsenal).
Em campo, as novidades ficaram por conta das duas novas contratações do clube para a temporada: Alexandre Lacazette e Sead Kolasinac. Os dois se juntaram ao grupo, que, contudo, não estava completo por conta da ausência de alguns jogadores: Héctor Bellerin, Rob Holding, Calum Chambers, Shkodran Mustafi e Alexis Sanchez (de férias após terem participado de competições com suas respectivas seleções); Lucas Perez, Mathieu Debuchy, Carl Jenkinson e Kieran Gibbs (não viajaram para negociarem suas possíveis saídas); Jack Wilshere, Santi Cazorla, Gabriel, Akpom, Joel Campbell e Jeff Reinè-Adelaide (lesionados). Com tantos desfalques, os jovens da academia ganharam ainda mais espaço na viagem.

Abaixo, a lista dos atletas que representaram o Arsenal na turnê:

Kit away sendo lançado no intervalo do amistoso na Austrália através do site oficial do clube (Foto: Arsenal).
Goleiros: Petr Cech, David Ospina e Emiliano Martinez.

Defensores: Per Mertesacker, Laurent Koscielny, Nacho Monreal, Sead Kolasinac, Krystian Bielik e Cohen Bramall.

Meias: Francis Coquelin, Mohamed Elneny, Granit Xhaka, Aaron Ramsey, Ainsley Maitland-Niles, Joe Willock, Alex Oxlade-Chamberlain, Reiss Nelson e Mesut Özil.

Atacantes: Alexandre Lacazette, Alex Iwobi, Danny Welbeck, Theo Walcott, Eddie Nketiah, Donyell Malen e Olivier Giroud.

O Arsenal participou ao todo, de quatro amistosos neste tour: Dois na Austrália e mais dois na China. Apesar dos resultados terem sido, no geral, muito satisfatórios, com três vitórias e apenas uma derrota, o objetivo principal de Arsène Wenger foi em trabalhar na preparação física dos atletas, já sob os cuidados de Darren Burgess, e fazer testes, principalmente com os jovens da academia.

Nas partidas da Austrália, a exigência técnica foi muito menor obviamente, portanto, a superioridade dos Gunners foi gritante, entretanto, com vitórias mais modestas. Primeiro, o Arsenal aplicou 2-0 no Sidney FC, jogando para mais de 80.000 espectadores, e com gols de Per Mertesacker e outro de Alexandre Lacazette, que precisou de apenas quinze minutos com a 9 do Arsenal para já anotar seu primeiro gol. No segundo duelo em território australiano, o Arsenal venceu o Western Sidney Wanderers pelo placar de 3-1, com gols de Olivier Giroud, Aaron Ramsey e Mohamed Elneny, e com grande atuação de Nacho Monreal, autor de duas assistências, mesmo jogando como zagueiro. O público novamente foi impressionante, e somados os dois jogos, encheram o Anz Stadium com mais de 160 mil pessoas. Foi também a oportunidade de vermos em ação alguns jovens promissores da academia do Arsenal, que fizeram suas estreias pelo clube: Reiss Nelson, Joe Willock, Cohen Bramall, Eddie Nketiah e Donyell Malen. De todos, dois que encheram muito os olhos do torcedor Gooner, foram Bramall e Nelson. Principalmente o segundo, um jogador habilidoso, rápido e driblador, com grande personalidade e ótima capacidade de criação de jogadas pelas pontas. Uma promessa que pode render bons frutos ao Arsenal, e acredita-se que logo seguirá os passos de Ainsley Maitland-Niles, recém-promovido à equipe principal do clube.

Maior contratação da história do Arsenal, Alexandre Lacazette comemora seu primeiro gol pelo clube em amistoso contra o Sidney FC. (Foto: Arsenal).
Com o fim da estadia na Austrália, a equipe voou rumo a China, para fazer suas duas últimas partidas da turnê antes de voltar para casa. Em território chinês, o Arsenal encontrou, assim como na Austrália, fãs animados e entusiasmados com a visita do time. Resultado: estádios lotados e apoio incondicional aos Gunners.

A primeira experiência foi no Shangai Stadium, em amistoso válido pela Champions Cup, torneio amistoso. Adversário: O indigesto Bayern de Munique. Vimos no início do jogo, uma ligeira superioridade dos alemães, que saíram na frente com gol de pênalti – inexistente, todavia – de Lewandowski. Sim, Cech estava no gol. E apesar de não ter defendido mais uma cobrança de pênalti, salvou o Arsenal em muitos ataques alemães, fazendo no mínimo, três defesas difíceis.

O Arsenal conseguiu equilibrar as ações, e criou algumas oportunidades, na mais clara delas, Özil serviu Lacazette, que saiu na cara do goleiro Starke e finalizou, mas o arqueiro alemão reagiu bem e evitou o gol do francês. Jogada a qual fez todo Gooner sonhar alto. Quando mais uma derrota para os germânicos parecia estar se concretizando, Alex Iwobi arrancou do campo de defesa após roubar a bola de Renato Sanches, rolou para Aaron Ramsey, que devolveu para o nigeriano arrematar de cabeça, empatando e levando a partida para os pênaltis, aos 49 minutos de jogo, no último lance da partida. Já com as equipes modificadas, o Arsenal entrou na disputa de pênaltis com o argentino Martinez no lugar de Cech no gol: Vitória garantida. Emiliano Martinez defendeu duas cobranças e garantiu a vitória para o Arsenal, por 3-2.

Jogadores do Arsenal comemorando o troféu conquistado em partida amistosa (Foto: Arsenal).
No último amistoso da turnê, realizado no sábado (22), o Arsenal foi até o Ninho de Pássaro enfrentar o rival Chelsea. Com interesses e propostas diferentes dos rivais londrinos, o Arsenal foi quem decepcionou seus fãs de Pequim. O Chelsea, com exceção de Eden Hazard e Diego Costa, entrou com o time titular, já o Arsenal, promoveu novamente muitos experimentos no time. Em dois lances rápidos e seguidos um do outro, ainda no primeiro tempo, os comandados de Antonio Conte abriram 2 a 0. Logo no segundo tempo ampliaram a vantagem, marcando o terceiro gol. Após isso, o que se viu de interessante em campo, saíram dos pés de jovens, como Malen e Nelson, que tentavam jogadas individuais, mas sem sucesso.

Um resultado que não deve ser levado a sério, assim como também não, as outras três vitórias, afinal, a ideia da pré-temporada é rodar o elenco, ganhar ritmo, buscar o melhor condicionamento físico e retomar a melhor forma, com um único intuito: Começar bem a temporada.  

Temporada essa que, aliás, começa pra valer com um novo encontro entre Arsenal e Chelsea, mas desta vez, valendo troféu, e em Wembley – já vi este filme antes. No dia 6 de Agosto, as equipes voltam a duelar pela Community Shield, em Londres. Mas, antes disso, o Arsenal entrará em campo no próximo fim de semana, em casa, nos dias 29 e 30/07, em partidas válidas pela Emirates Cup – torneio amistoso que não é realizado desde 2015. No sábado, o Arsenal enfrenta o Benfica, já no domingo, o adversário será o Sevilla.

A lição que o Arsenal pode tirar dessa viagem, é que há coisa muito boa saindo dos times de base, meninos que a médio e a longo prazo, poderão integrar o time principal, como muitos já o fazem, mantendo a filosofia do clube, em revelar jovens talentos, e aproveitá-los na primeira equipe. Além disso, é de suma importância também à divulgação da marca por outros países, aproximando cada vez mais o clube do torcedor, mostrando que não importa o quão distante esteja, a partir do momento que você é um Gooner, você faz parte do clube também. We Are The Arsenal!


Por: Thalles Monari // Twitter: @_thallesmonari

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.